Caso Allexia: Delegado João Marcello conclui inquérito e indicia pai e madrasta da menina

COMPARTILHE
Por: AlagoasWeb com 6ª DRP  Data: 27/07/2022 às 12:07
Fonte de Imagem: Reprodução

O delegado João Marcello Almeida, titular da 6ª Delegacia Regional de São Miguel dos Campos, concluiu Inquérito Policial que apurou as circunstâncias da morte da pequena Allexia Sophia, de apenas 5 anos de idade.

De acordo com o delegado, na semana do fato a criança tinha passado a defecar e urinar na cama involuntariamente, tendo seu pai lhe aplicado castigos corporais desarrazoados na terça-feira, dia 12 de julho. Tais fatos se repetiram nos dias seguintes, quarta e quinta-feira.

Reveja: Morre no HGE criança agredida pelo pai e madrasta em São Miguel dos Campos

No sábado à tarde, dia 16, a criança foi colocada para dormir e não mais acordou. “Diante da situação, o pai e madrasta levaram a Allexia para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Após procedimentos médicos, foram constatadas as múltiplas equimoses em seu pequeno corpo”, explicou o delegado.

A menina foi então transferida em estado grave para o Hospital Geral do Estado (HGE) em Maceió, onde veio a falecer na noite do dia 19. A causa da morte foi tromboembolismo pulmonar causada por ação de instrumento contundente.

João Marcello afirmou que foram ouvidas várias testemunhas, parentes, juntada de relatórios psicológicos, laudos médicos, registros escolares, dentre outros.

O pai e a madrasta foram indiciados pelo crime de maus-tratos, com resultado morte, contra menor de 14 anos. Se condenados, a pena para o crime pode chegar a 16 anos de prisão.

“O pai foi responsabilizado por praticar as lesões diretamente, já a madrasta por ser garantidora legal da integridade da criança, nada fazendo para impedir as agressões, bem como não comunicou o fato às autoridades competentes”, concluiu o delegado.

Os indiciados seguem recolhidos nos xadrezes da 6ª DRP, devendo ser transferidos para o sistema prisional.

Veja também

Populares apedrejam residência de casal acusado de agredir e matar criança em São Miguel dos Campos

Reprodução
delegado João Marcello Almeida