Símbolo de Marechal Deodoro, Igreja do Bonfim é entregue restaurada à comunidade

COMPARTILHE !!
Por: IPHAN  Data: 09/12/2022 às 06:06
Imagem: Melissa Mota

Primeira igreja em uma cidade permeada por templos, a Igreja do Senhor do Bonfim acompanha toda a história de Marechal Deodoro (AL). Situado no primeiro núcleo de povoamento urbano da cidade, o bairro de Taperaguá, o templo será entregue à população neste sábado (10), às 10h. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo, investiu cerca de R$ 2 milhões nas obras.

Muitas descobertas vieram à tona ao longo da execução dos trabalhos. Durante a limpeza e remoção da camada aparente de tinta, descobriu-se uma pintura no estilo barroco-rococó que adorna o forro. Com edificações em perspectivas nas extremidades, a obra traz ao centro uma imagem de Jesus Cristo. A qualidade artística ilusionista da pintura a coloca entre uma das mais impressionantes da região Nordeste.  Fiéis e visitantes agora podem apreciar esta obra de arte, bem como conhecer outros elementos resgatados pelo restauro, como o piso de tijolos do altar; e pinturas no contorno de toda a nave, nas paredes laterais, ao fundo do altar principal, entre outros. 

A obra contemplou intervenções na fachada, nos pisos e na cobertura, além da substituição total da rede elétrica, instalação do sistema de para-raios e construção de banheiro com acessibilidade. Completam os serviços a restauração dos bens integrados e elementos artísticos, como altar, tribuna, púlpito e outros.

Embora não se conheça a data de construção do templo, sabe-se que as terras onde se ergueu foram doadas em 1755 para patrimônio religioso dedicado ao culto do Senhor do Bonfim. Ponto de tradicionais procissões, as celebrações da igreja são iniciadas com festas dos mastros e se espalham pelo pátio externo do templo, o adro de maior dimensão da cidade. Entre outras atividades, quermesses e apresentações de bandas de música orquestral e de pífanos integram os festejos.

Espaço incontornável do cotidiano deodorense, o Largo de Taperaguá marca referências culturais e afetivas na memória dos moradores. Casas coloridas contornam o vasto largo que se estende à frente da igreja: o visitante que chega a Marechal Deodoro (AL) é logo cativado por essa paisagem singular, típica do Brasil colonial.

Pintura do forro estava escondida e impressiona pela qualidade

 A arquitetura do templo apresenta influência barroca, marca da passagem dos jesuítas na região.  Além do reconhecimento histórico, toda a vida que preenche a Igreja do Bonfim torna dinâmica e viva a comunidade que frequenta o templo. Os frequentadores da igreja são tantos que o imóvel não consegue abarcá-los: em muitas das atividades litúrgicas, o largo defronte à igreja converte-se em uma grande assembleia para acomodar o expressivo número de fiéis.

Não há registro de que a igreja tenha deixado de ser utilizada nenhuma vez, mesmo em meio aos danos e problemas que o tempo e a ausência de restauro trouxeram. Os deodorenses sempre fizeram questão de ocupar esse monumento religioso e cuidar dele. Trata-se de um espaço sagrado de acolhimento e identidade.

Não faltam celebrações no calendário de atividades da igreja: a Festa do Padroeiro, em 06 de janeiro, e a Festa das Dores de Nossa Senhora, entre 12 e 18 de agosto, são exemplos de datas que agitam o local.

“O restauro da Igreja do Bonfim sanou problemas do imóvel com excelentes soluções técnicas. Além disso, o templo volta para a comunidade com uma série de descobertas artísticas que ocorreram ao longo dos trabalhos. Tais elementos resgatam a história de Marechal Deodoro e criam novas camadas de sentido para o bem cultural. A obra é fruto da conservação do Patrimônio Cultural por parte da comunidade, do Iphan, e de todas as instituições envolvidas”, destaca a superintendente do Iphan-AL, Melissa Mota.

Melissa Mota

Investimentos em Marechal Deodoro
O templo integra o conjunto arquitetônico e urbanístico de Marechal Deodoro, tombado pelo Iphan em 2006 por sua importância histórica e paisagística. O local foi inscrito em dois Livros do Tombo: o Histórico e o Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico.  

Nos últimos anos, o Instituto investiu aproximadamente R$ 10 milhões no Patrimônio Cultural da cidade. O Iphan promove atualmente o restauro da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição e o embutimento de fiação aérea no largo defronte a ela. Em 2021, o Instituto entregou restauradas a Igreja de Nossa Senhora dos Homens Pretos e a sede da Filarmônica mais antiga da cidade, a Santa Cecília. Além disso, o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, concedeu verbas para transformar em biblioteca a Igreja de Nossa Senhora do Amparo em biblioteca, em pleno uso pela população.

Tais monumentos reforçam a sensação de pertencimento do cidadão deodorense à cidade, bem como impulsionam o turismo local: cuidar desses bens é tarefa compartilhada entre instituições públicas, cidadãos e sociedade como um todo.