Rifeira morta a tiros teve sonho premonitório um dia antes do crime: ‘Atiravam tanto. Saí correndo’

COMPARTILHE !!
Por: Correio 24 Horas  Data: 12/12/2022 às 10:27
Imagem: Reprodução

A rifeira Hynara Santa Rosa, de 39 anos, já sabia que seus sonhos costumavam ser “avisos”, e, por isso, decidiu compartilhar com uma amiga um que teve na véspera da própria morte. “Sonhei que eu estava com você no Comércio, com roupa de academia e parou um carro e chamou o nome dela, aí deram um tiro, eu me escondi atrás da árvore e consegui rastejar até meu carro e comecei a chamar ela, porque meu carro é blindado… eles atiravam tanto e eu saí correndo até a polícia… e acordei assustada”. (sic)

Naroka, como era conhecida nas redes sociais, foi morta a tiros no final da tarde deste domingo (11) em Barra do Jacuípe, onde passava o fim de semana com o esposo, Rodrigo da Silva Santos, de 33 anos, também assassinado. A autoria e motivação do crime seguem desconhecidas.

Horas antes do crime, Hynara apareceu para seus mais de 100 mil seguidores chorando e disse estar triste. Nos stories, contou que tinha acabado de conversar com uma amiga da época da escola, o que a fez relembrar dificuldades vividas na adolescência.

O crime
O casal de rifeiros Rodrigo da Silva Santos, de 33 anos, e Hynara Santa Rosa da Silva, 39, foi morto a tiros na tarde deste domingo (11), em Barra do Jacuípe, local turístico da orla de Camaçari, na região metropolitana de Salvador, onde curtiam o fim de semana. Eles receberam tiros no peito e na cabeça. A autoria e a motivação do crime ainda são desconhecidas.

A dupla tinha grande projeção nas redes sociais e acumulavam mais de 190 mil seguidores. Mais que a divulgação dos sorteios, as redes sociais de Digony e Naroka, como se apresentavam, respectivamente, eram utilizadas para mostrar o estilo de vida do casal.

De acordo com a Polícia Militar, o chamado ocorreu por volta das 18h30. A informação registrada foi a da presença de dois corpos, vítimas de disparo de arma de fogo, na localidade Canto do Rio Jacuípe. Agentes da 59ª CIPM, que atua na região, isolaram o local e acionaram o Departamento de Polícia Técnica, que procedeu com a perícia e remoção dos corpos.

Horas antes do duplo homicídio, Rodrigo fez uma sequência de stories anunciando suas rifas à beira mar e no comando de uma moto aquática.

Os corpos de Rodrigo e de Hynara foram encaminhados para o Instituto Médico Legal de Salvador, onde aguardam a liberação. A Delegacia de Monte Gordo e o DHPP irão investigar o caso. Os dois trabalhavam com rifas e jogos de aposta.