Renan não provou nada, apenas construiu narrativas e publicou na forma de relatório, afirma jornalista

COMPARTILHE
Por: Jovem Pan  Data: 20/10/2021 às 20:34
Fonte de Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

O relatório da CPI da Covid-19, lido nesta quarta-feira, 20, no Senado, pediu o indiciamento de 68 pessoas ou empresas que teriam cometido crimes durante a pandemia no Brasil. O relator Renan Calheiros (MDB-AL) desistiu de pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro pelos crimes de homicídio e genocídio contra indígenas, mas manteve outras nove tipificações.

O parecer abordou o atraso na compra de vacinas, o chamado gabinete paralelo, o tratamento precoce, o caso da vacina indiana Covaxin, o caso Prevent Senior, a disseminação de notícias falsas, entre outros temas.

Durante sua participação no programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, Cristina Graeml afirmou que Renan Calheiros “não comprovou nada, apenas construiu narrativas e publicou na forma de relatório final”. A comentarista também criticou diversos pontos destacados pelo relator. “Renan Calheiros dizendo que se comprovou a existência de um gabinete paralelo e uso de tratamento sem amparo cientifico.

Sobre o gabinete, só criança que ainda não aprendeu a falar que não entendeu que isso é uma invenção da cabeça dele e dos outros que estão desde o início construindo narrativas”, disse. “Eu quero crer que muitos brasileiros tenham dado risada, sim. A gente precisa rir quando uma CPI circense termina com um relatório que é quase um conto da Carochinha”, completou.