Renan Filho renova decreto e proíbe acesso a praias durante feriado da Semana Santa

COMPARTILHE
Por: Agência Alagoas  Data: 30/03/2021 às 19:51
Fonte de Imagem: Reprodução

Alagoas seguirá na Fase Vermelha do Plano de Distanciamento Social Controlado por mais 14 dias. A renovação do decreto vigente, anunciada pelo governador Renan Filho durante coletiva de imprensa transmitida on-line na tarde desta terça-feira (30), inclui ainda a proibição do acesso a praias na próxima sexta-feira (2) em virtude do feriado da Semana Santa.

Após verificar os dados da última semana epidemiológica e os indicadores que norteiam as decisões acerca da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o Governo do Estado decidiu prorrogar as medidas vigentes. “Mesmo com todo o esforço feito, com redução de casos ativos sobre casos recuperados e uma leve redução na taxa de ocupação de leitos, nós ainda tivemos uma semana com o maior número de óbitos das últimas cinco semanas. Então, o Estado tomou a decisão de manter Alagoas na Fase Vermelha”, justificou o governador.

Governador Renan Filho anuncia que toda Alagoas passa a Fase Vermelha

Com a aproximação da Páscoa, as chances de aglomeração durante os dias de folga aumentam. Para evitar o risco de crescimento da transmissão, o novo decreto estabelece o fechamento das praias no litoral alagoano durante o feriado. 

“Nós vamos ter um momento delicado ao longo dos próximos dias que é a Semana Santa. Um período que historicamente as pessoas aproveitam pra reunir as famílias e para viajar”, pontuou Renan Filho, que apelou à população: “Neste ano, é muito importante que, se as famílias puderem, não façam isso, não reúnam grupos grandes – porque isso certamente ajuda a propagar o vírus –, enquanto a gente agiliza a vacinação”.

Com vistas a uma possível melhora nos índices, um novo encontro de avaliação da crise será realizado já na semana seguinte à publicação do decreto. “Depois da Semana Santa, na segunda ou na terça-feira, vamos fazer outra reunião para avaliar e tomar novas decisões em relação a alguns segmentos específicos. Vamos rever e observar os números para tentar tomar outra decisão”, informou o chefe do Executivo estadual.