Prodígios da Matemática, irmãos inspiram colegas em escola estadual

COMPARTILHE !!
Por: Ascom Seduc  Data: 18/03/2023 às 12:00
Imagem: Thiago Ataíde/Ascom Seduc

Um acorda às 5h da manhã; o outro gosta de dormir um pouco mais. Um é conciso nas palavras, enquanto o outro é capaz de discursar por horas. Os irmãos Pedro Henrique e Paulo Diego Vasconcelos Neves podem ter personalidades diferentes em alguns aspectos, mas compartilham uma paixão em comum: a Matemática. E o amor pelos números é tanto que faz com que eles queiram trazer mais pessoas para o seu lado. E foi assim que ambos se tornaram uma inspiração para seus colegas da Escola Estadual Ovídio Edgar, no Tabuleiro do Martins, em Maceió.

Pedro é o mais velho e, atualmente, cursa a 1ª série do ensino médio. Paulo está no 9º ano do ensino fundamental. Os garotos descobriram a paixão pelos números com o pai e também estudam juntos em casa. O resultado de tanta dedicação: premiação nas Olimpíadas Alagoana (OAM) e Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), sendo as mais recentes já como estudantes da Ovídio Edgar: duas medalhas de bronze nas edições 2022 da Obmep, e um bronze e uma menção honrosa na OAM.

“É uma sensação muito boa receber uma medalha. É a recompensa e reconhecimento do seu esforço, além de abrir muitas portas”, fala Pedro. Paulo, que participou de sua primeira olimpíada ainda no 7º ano, conta que, no começo, não gostava de Matemática. “E foi assim que descobri a paixão pela disciplina. Não é difícil. Tudo é uma questão de raciocínio, capacidade cognitiva e esforço. Por isso, participar das olimpíadas é revigorante”, atesta.

Referência
A paixão dos garotos pelos números contagiou seus colegas. Após o convívio com os irmãos, mais estudantes da Ovídio Edgar passaram a se interessar mais pela Matemática e pelas olimpíadas. Além disso, constantemente, os dois também ajudam outros alunos que possuem alguma dificuldade com a disciplina.

“Percebo que a presença deles em sala de aula, auxiliando no esclarecimento de dúvidas, traz para seus colegas a ideia do possível, de que eles também podem alcançar as mesmas conquistas. Sinto que temos outros alunos mais comprometidos, o que fortalece o trabalho do professor e, consequentemente, de toda a equipe da escola”, avalia a diretora Gerliane Silva.

Epolly Thamary, professora de Matemática da Ovídio Edgar, diz que Pedro e Paulo são os estudantes para os quais todo professor gosta de dar aula. “Fico muito feliz por ser professora deles. Ambos são muito estudiosos, dedicados e se destacam pelo conhecimento. E eles têm influenciado positivamente seus amigos, que, os vendo conquistar premiações, começaram a se interessar mais, desejando fazer parte desse ambiente diferenciado das olimpíadas”, revela.

Responsabilidade coletiva
Oriundos de escola particular, Pedro e Paulo chegaram à Ovídio Edgar em 2022. Lá fizeram novos amigos e adquiriram uma nova visão de mundo. “Aqui aprendi a não pensar só em mim, mas no coletivo. Temos muitos estudantes talentosos na escola pública, e tudo o que eles precisam é de pessoas que os estimulem a desenvolver o seu potencial. Aqui na Ovídio, a professora Epolly é uma dessas pessoas. O seu trabalho me impulsionou a acreditar não somente em mim, mas em todos”, reflete Paulo.

Mãe dos garotos, Fabrícia Vasconcelos não esconde o orgulho pelas conquistas alcançadas pelos filhos. “A participação deles nas olimpíadas de conhecimento abriu muitas portas para a iniciação científica e futuro profissional. Fico feliz que eles tenham optado vir para a escola pública, pois vejo que, hoje, eles se esforçam mais e também incentivam outros jovens a se interessarem mais pelos estudos”, diz Fabrícia, que é acadêmica de Fisioterapia.

Obmep 2023
Pedro e Paulo participarão da edição 2023 da Obmep, cujas inscrições se encerram nesta sexta-feira (17) e devem ser feitas pelo site www.obmep.org.br. Realizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), a olimpíada é a maior competição científica do país e conta, em média, com a participação de 18 milhões de estudantes do 6º ano do ensino fundamental a 3ª série do ensino médio.

Em Alagoas, a Obmep é coordenada pela Universidade Federal de Alagoas e conta com o apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Secretarias Municipais de Educação (Semeds), Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e escolas da rede particular de ensino.

Na edição 2022 do evento, Alagoas conseguiu 93 medalhas com alunos de escolas públicas e privadas do Estado – das quais dois ouros, 17 pratas e 74 bronzes. Pela rede estadual de ensino foram 25 medalhas – três de prata e 22 de bronze -, além de dois professores e oito escolas premiadas. A cerimônia de premiação da edição 2022 da Obmep está prevista para o segundo semestre deste ano.