Por que letra de médico é feia?

COMPARTILHE !!
Por: Canal Tech  Data: 04/06/2022 às 18:47
Imagem: Reprodução

Recentemente, indicamos algumas soluções digitais que podem ajudar a entender uma receita médica, uma tarefa que pode se mostrar árdua. Isso levanta uma questão: por que letra de médico é feia? O consenso é tanto, que o termo é justamente usado como um sinônimo de caligrafia ilegível, ainda que não devesse ser dessa forma.

Como já ressaltamos, afinal, a Lei Federal nº 5.991 prevê que só será aviada a receita que estiver escrita de modo legível, então a letra de médico ilegível pode acarretar justamente em punição para o profissional, e o Conselho Regional de Farmácia do Paraná reitera que “todos os dados da prescrição deverão estar preenchidos corretamente pelo profissional, pois as farmácias não estão autorizadas a aviar receitas incompletas”.

Mas vamos às causas: o que leva a letra de médico a ficar tão ininteligível? Apesar de ser uma pergunta muito subjetiva e que generaliza a profissão, existem algumas teorias que podem respondê-la. As exigências da profissão, por exemplo, podem ser fatores que colaboram para uma letra de difícil compreensão.

Veja bem: um médico precisa passar por muitas consultas em sequência e enfrenta cargas extenuantes de trabalho. Além disso, a necessidade de escrever diversos processos — receitas, prontuários, laudos — e ainda assim atender pacientes acaba exigindo agilidade, o que por sua vez acarreta em uma letra feita às pressas, sem espaços para caprichos.

Um dos principais fatores por trás da caligrafia incompreensível do médico é a faculdade, uma vez que os estudantes precisam anotar muitas coisas muito rápido ao longo de quase dez anos de formação, quase como um treinamento para a pressa que acompanha a profissão. O uso de jargões incompreensíveis torna as coisas ainda mais confusas, e é aí que entra a maior facilidade que enfermeiras e farmacêuticos possuem para decifrar esses “enigmas” das receitas médicas.

É só o médico que tem a letra feia?
Em contrapartida, um estudo publicado na revista Quality & Safety in Health Care defende que a legibilidade da caligrafia dos médicos é tão boa (ou ruim) quanto a de outros profissionais. Ao todo, os pesquisadores analisaram a caligrafia de 209 profissionais de saúde, usando uma frase padrão e pontuando a legibilidade de 1 a 4.

Na prática, a legibilidade da caligrafia dos médicos não foi diferente de outros profissionais também analisados, como contadores, advogados, engenheiros e cientistas. “Essa falta de diferença na legibilidade da caligrafia não exime os médicos da responsabilidade pela clareza e precisão em sua comunicação escrita”, diz o estudo.

Levando isso em consideração, conclui-se que a medicina é uma das poucas profissões em que a qualidade de sua caligrafia é importante para outras pessoas. Ninguém fala da letra de engenheiro da mesma forma que fala da letra de médico, por exemplo, porque ninguém costuma ver a caligrafia desse profissional. “Como a ilegibilidade da caligrafia se correlaciona com as taxas de erro de prescrição e má interpretação de pedidos, os médicos devem se esforçar para ter uma caligrafia ‘melhor’ do que todos os outros ou adotar a informatização de registros e pedidos médicos”, concluem os pesquisadores.