Polícia descarta motivação política em morte de petista e indicia agente por homicídio qualificado

COMPARTILHE
Por: Com Jovem Pan  Data: 15/07/2022 às 14:38
Fonte de Imagem: Reprodução

A Polícia Civil de Foz do Iguaçu irá indiciar o agente penal federal Jorge Guaranho, autor dos disparos que mataram o tesoureiro do PT e guarda municipal Marcelo Arruda, por homicídio qualificado por motivo torpe e perigo comum. A informação foi confirmada na manhã desta sexta-feira, 15, pela delegada chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Camila Cecconello, durante coletiva.

Segundo a delegada, o policial penal está sedado no momento. “Não há provas de que foi um crime de ódio, pelo fato de a vítima ser petista”, afirmou.

Durante a entrevista, Camila revelou detalhes sobre o episódio. Ele disse que Guaranho estava em um churrasco e teria ingerido bebidas alcoólicas quando soube da festa com temática em homenagem ao ex-presidente Lula em um clube da região, tendo acesso a imagens das câmeras de segurança do local.

O agente foi até o local e tocou uma música que fazia alusão à campanha de Jair Bolsonaro, o que gerou uma discussão entre ele e Marcelo, que teria atirado terra na direção de Guaranho, atingindo sua esposa e uma criança que estaria com o casal.

Depois de deixar a mulher em casa, ele retornou, entrou no clube. Marcelo e Guaranho se encararam com as armas apontadas um para o outro até que o agente penal abriu fogo. Já em solo, Marcelo revida e acerta Guaranho.