PE registra 1ª morte por chikungunya em 2019

COMPARTILHE
Por: Array / Minha Vida  Data: 11/10/2019 às 09:35
Fonte de Imagem: Reprodução

Vítima da doença foi idoso picado por Aedes aegypti; veja como se prevenir

A cidade de Recife registrou a primeira morte por chikungunya no Brasil em 2019. A vítima era um idoso de 83 anos, morador da capital pernambucana, segundo um boletim epidemiológico emitido pela Secretaria de Saúde do Estado.

Agora, Pernambuco acumula cinco casos fatais por arboviroses (doenças causadas por insetos, como o Aedes aegypti) neste ano. Além desta ocorrência mais recente, outras quatro pessoas foram vítimas de dengue.

Morte por chikungunya
De acordo com o órgão, a vítima de chikungunya tinha diabetes, doença crônica que pode debilitar o sistema imunológico e, portanto, deixar o organismo mais vulnerável a demais enfermidades.

Apesar do falecimento ter sido registrado em 16 de junho, os resultados dos exames laboratoriais só foram divulgado nesta terça-feira (8), confirmando a suspeita de contágio por chikungunya.

No início do ano, Recife já havia registrado um óbito por arbovirose, porém, tratava-se de um caso de dengue – uma adolescente de 12 anos, que vivia na zona norte da cidade.

Doenças transmissíveis por mosquitos
Arboviroses são doenças causadas pelos arbovírus, incluindo o vírus da dengue, chikungunya, febre amarela e Zika vírus. O nome do conjunto de enfermidades se dá por sua transmissão por insetos e aracnídeos, entre eles o mosquito Aedes aegypti.

No Estado de Pernambuco, 100 mortes foram denunciadas sob suspeita de relação com arboviroses, como a chikungunya. Porém, 52 casos foram descartados e o restante aguarda investigação.

Além disso, houve um aumento de 161,6% em suspeitas de dengue, zika e chikungunya em Pernambuco. Somente em 2019, já foram registradas 63.551 ocorrências das doenças, contra 24.294 no ano anterior.

O que é chikungunya
A chikungunya (ou Febre Chikungunya) é uma doença causada pelo vírus CHIKV, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado ou, raramente, pelo mosquito Aedes albopictus.

Após sobreviver a um período de sete dias ao picar alguém com a doença, o mosquito pode carregar o vírus por toda sua vida. Por isso, a prevenção e combate ao Aedes aegypti é tão importante, já que ele é o mesmo transmissor da dengue, febre amarela, Zika e demais enfermidades.

Sintomas da febre chikungunya

Os sintomas de chikungunya são muito similares aos da dengue, como:

Febre alta Dores pelo corpo Dor de cabeça Fadiga Mal-estar

Entretanto, a febre chikungunya tem um sinal diferente que não aparece em pessoas com dengue: fortes dores nas juntas, acompanhadas de inchaço, vermelhidão na pele e calor.

Ao sentir algum desses sintomas, procure o pronto-socorro mais próximo. Afinal, a chikungunya é uma doença que pode matar.

Prevenção
A melhor forma de se prevenir contra a chikungunya é evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti.

Vale ressaltar que a chegada de estações mais quentes, como a primavera e o verão, favorecem a procriação do mosquito.

Atenção: além dos mosquitos resistirem mais facilmente a temperaturas altas, o período de setembro a fevereiro tem uma incidência maior de chuvas – o que propicia um maior acúmulo de água parada, ambiente perfeito para o desenvolvimento do mosquito.

Confira como eliminar o risco de contrair chikungunya e demais doenças transmitidas pelo Aedes aegypti:

Evite o acúmulo de água: jogue pneus velhos fora, vire garrafas com boca para baixo, drene terrenos que formam poças, limpe potes de água de seus animais domésticos regularmente. Tampe caixas d’água e piscinas: mantenha caixas d’água, piscinas e cisternas sempre fechadas/tampadas. Coloque areia em vasos de plantas: se você utiliza pratos com água embaixo de seus vasos de plantas, troque-os por areia. A areia conserva a umidade e evita que o prato vire um criadouro dos mosquitos. Feche ralos de cozinhas e banheiros: ralos rasos podem acumular água no interior, sendo um ambiente perfeito para os mosquitos se reproduzirem. Por isso, use uma tela de proteção e higienize com desinfetante regularmente. Limpe calhas: larvas de mosquitos podem ser encontradas em pequenas poças em calhas e canos, que devem ser limpos com frequência. Ponha tela mosquiteiras em janelas: telas em portas e janelas podem ajudar a proteger você e sua família, caso os principais focos estejam em área externa. Faça o descarte correto do lixo: despeje corretamente seu lixo, evitando acúmulo em bueiros, córregos e riachos. Outra dica é sempre deixar as latas de lixo bem tampadas, pois podem acumular líquidos.