Para que serve o ibuprofeno: 9 situações em que está indicado

COMPARTILHE
Por: Tua Saúde  Data: 25/03/2022 às 10:50
Fonte de Imagem: Arquivo/Agência Brasil

O ibuprofeno é um anti-inflamatório não esteroidal que reduz a formação de substâncias que causam inflamação e dor no corpo.

O ibuprofeno pode ser encontrado em farmácias na forma de genérico ou com os nomes comercias Alivium, Advil, Buprovil, Ibupril ou Motrin.

É importante que o seu uso seja orientado pelo médico, pois a dose pode variar de acordo com o problema a tratar, a idade e o peso da pessoa.

A seguir apresentamos com maior detalhe as principais situações em que o médico pode aconselhar o uso de ibuprofeno:

1. Febre
O ibuprofeno é indicado em casos de febre por ter uma ação antipirética, ou seja, reduz a formação de substâncias que causam o aumento da temperatura corporal.

A febre é uma forma do corpo se defender de agentes agressores como vírus e bactérias e é considerada um sintoma de que alguma coisa está errada com o organismo. Em casos da febre não baixar mesmo tomando o ibuprofeno, é importante consultar um médico para verificar a causa e tratar de forma adequada.

Deve-se levar a criança ou o bebê ao pediatra sempre que apresentarem febre pois o sistema imunológico ainda não está completamente maduro e necessitam de avaliação médica e tratamento adequado.

2. Gripes e resfriados comuns
O ibuprofeno pode ser usado para tratar os sintomas da gripe e do resfriado comum por ter ação anti-inflamatória, além de baixar a febre e reduzir a dor.

A gripe é uma infecção causada pelo vírus influenza e, geralmente, apresenta sintomas de arrepios, sensação de frio, dor no corpo, cansaço, dor de cabeça e febre nos primeiros dias, que pode chegar aos 39ºC.

Já no resfriado comum, a febre não é comum, mas pode ocorrer de forma leve, e os sintomas principais são dor de garganta ou nariz congestionado que geralmente desaparecem entre 4 e 10 dias após a infecção.

3. Dor de garganta
O ibuprofeno pode ser usado para aliviar a dor de garganta, chamada amigdalite ou faringite, que geralmente ocorre devido a infecção viral provocada pelo resfriado comum. Nestes casos, as amígdalas ou a faringe inflamam, ficando vermelhas e inchadas, causando dor ou dificuldade para comer ou engolir.

Se além da dor de garganta, surgirem outros sintomas como tosse, febre alta ou cansaço, é importante consultar o clínico geral ou otorrinolaringologista para avaliar a possibilidade de infecção bacteriana e a necessidade de utilizar antibiótico.

4. Cólica menstrual
A cólica menstrual é sempre incômoda e pode durar de 1 a 3 dias durante a menstruação e, neste caso, o ibuprofeno pode ser usado para aliviar a dor provocada pela contração do músculo do útero e a inflamação devido a produção de substâncias inflamatórias como a ciclooxigenase, por exemplo.

É importante fazer consultas regulares com o ginecologista, pelo menos uma vez por ano, para avaliação, acompanhamento e detecção de problemas que podem ocasionar cólicas durante a menstruação e iniciar o tratamento específico caso seja necessário.

5. Dor de dente
A dor de dente pode aparecer de várias formas como sensibilidade ao calor ou frio, comer alimentos ou bebidas doces, ao mastigar ou escovar os dentes e geralmente é causada por má higiene bucal que leva à formação de cáries e problemas nas gengivas.

Nestes casos, o ibuprofeno age na inflamação e dor, podendo ser utilizado enquanto se espera a avaliação do dentista. Além disso, pode-se associar outros remédios caseiros para ajudar a aliviar a dor de dente.

Em casos de cirurgia dentária, com dor pós-operatória leve a moderada, o ibuprofeno também pode ser utilizado.

6. Dor de cabeça tensional
A dor de cabeça tensional é causada por insônia ou estresse, por exemplo, que pode ter como sintoma dor em volta dos olhos ou a sensação de ter um cinto apertando em volta da testa.

O ibuprofeno por sua ação anti-inflamatória pode aliviar a dor causada pela inflamação dos músculos da cabeça e do pescoço que ficam mais rígidos provocando a dor.

7. Dor muscular
O ibuprofeno é indicado para dor muscular por combater substâncias que causam a inflamação dos músculos.

A dor muscular, também chamada de mialgia, pode ocorrer por treino excessivo que causa sobrecarga dos músculos, depressão, infecções por vírus ou má posição, por exemplo.

Se a dor muscular não melhorar com o uso do ibuprofeno, é importante consultar um médico para saber a causa da dor e iniciar um tratamento específico.

8. Dor na coluna ou no nervo ciático
O ibuprofeno pode ser usado para alívio inicial da dor na coluna e do nervo ciático por melhorar a dor e a inflamação que geralmente podem ocorrer de forma local ou que podem irradiar para outras regiões como braços, pescoço ou pernas.

A dor na coluna ou no nervo ciático deve ser acompanhada por um médico ortopedista para avaliar a causa que normalmente pode estar associada aos ossos e discos da coluna, músculos e ligamentos.

9. Osteoartrite e artrite reumatóide
O ibuprofeno pode ser usado junto com outros analgésicos para aliviar a dor, o inchaço e a vermelhidão das articulações e que são comuns na artrite reumatóide e na osteoartrite. Nos casos de artrite reumatóide ainda pode ocorrer febre leve e o ibuprofeno é eficaz para melhorar esse sintoma.

É ainda aconselhado fazer acompanhamento com médico e fisioterapeuta com frequência para tratar e melhorar a flexibilidade das articulações e para fortalecimento muscular.

Possíveis efeitos colaterais
Os efeitos colaterais mais comuns do ibuprofeno são dor ou queimação no estômago, náuseas, vômitos ou aumento da pressão sanguínea.

Além disso, embora seja mais raro, também pode ocorrer coceira na pele, má digestão, prisão de ventre, perda do apetite, diarreia, excesso de gases intestinais, dor de cabeça, irritabilidade e zumbido nos ouvidos.

Quem não deve usar
O ibuprofeno não deve ser usado em casos de úlcera no estômago, sangramento gastrointestinal ou insuficiência do fígado, rins ou coração.

Este medicamento também não deve ser usado por mulheres grávidas ou em amamentação e crianças com menos de 6 meses de idade. O uso de ibuprofeno em crianças com menos de 2 anos de idade só deve ser feito sob orientação médica.