Namorar ou não, eis a questão

Namorar: “empenhar-se em inspirar amor a (alguém); galantear, cortejar”. Ao procurarmos no dicionário, esta é a definição que nos é mostrada. E com isso, vem o grande questionamento: Como algo com um significado tão simples pode ser a origem de diversos problemas melodramáticos por aí? Bom, é certo dizer que há conhecimentos que não são alcançados somente pelo dicionário. Partindo desta observação, temos a realização da importância do conhecimento prático. Namorar vai muito além de meras palavras ditas por um computador. E a prova disso é o número considerável de pessoas frustradas, ou porque não obtiveram sucesso; ou porque obtiveram, mas acabou não sendo o que esperavam. Mesmo com a utilização de grandes sites de relacionamentos como QuickFlirt, um bom relacionamento definitivamente não cairá do céu. Amar é um exercício que leva tempo. É preciso estar disposto a esperar. Pode parecer redundante, mas se aprende a amar amando. Exercitando o ouvir, o ceder, o compreender. Vivemos em uma sociedade imediatista que sofre com a ansiedade, que “quer tudo para ontem”, que não está disposta a esperar. Ao mesmo tempo em que as diversas tecnologias contribuíram para a modernização/globalização da nossa vida e ampliação das possibilidades de comunicação, por outro lado, o que vemos muitas vezes são pessoas que não conseguem verbalizar seus sentimentos, que têm dificuldades de se conhecer e se deixar conhecer, por consequência. A importância do autoconhecimento

COMPARTILHE !!
Por: Divulgação  Data: 04/01/2021 às 06:02
Imagem:

Namorar: “empenhar-se em inspirar amor a (alguém); galantear, cortejar”. Ao procurarmos no dicionário, esta é a definição que nos é mostrada. E com isso, vem o grande questionamento: Como algo com um significado tão simples pode ser a origem de diversos problemas melodramáticos por aí? Bom, é certo dizer que há conhecimentos que não são alcançados somente pelo dicionário. Partindo desta observação, temos a realização da importância do conhecimento prático. Namorar vai muito além de meras palavras ditas por um computador. E a prova disso é o número considerável de pessoas frustradas, ou porque não obtiveram sucesso; ou porque obtiveram, mas acabou não sendo o que esperavam. Mesmo com a utilização de grandes sites de relacionamentos como QuickFlirt, um bom relacionamento definitivamente não cairá do céu. Amar é um exercício que leva tempo. É preciso estar disposto a esperar. Pode parecer redundante, mas se aprende a amar amando. Exercitando o ouvir, o ceder, o compreender. Vivemos em uma sociedade imediatista que sofre com a ansiedade, que “quer tudo para ontem”, que não está disposta a esperar. Ao mesmo tempo em que as diversas tecnologias contribuíram para a modernização/globalização da nossa vida e ampliação das possibilidades de comunicação, por outro lado, o que vemos muitas vezes são pessoas que não conseguem verbalizar seus sentimentos, que têm dificuldades de se conhecer e se deixar conhecer, por consequência.

A importância do autoconhecimento

Muito se diz por aí que para achar o parceiro ideal, você precisa “ser uma meia-laranja” para achar “outra meia-laranja” para, aí sim, formar uma laranja inteira. No entanto, isso não poderia estar mais equivocado. Você não pode depositar no outro aquilo que supostamente lhe falta e, muito menos, se ver como uma pessoa incompleta que precisa de outra pessoa para se realizar. Não é preciso ser dependente de uma pessoa para que haja amor. Este pode ser demonstrado de várias formas, como já explicamos neste artigo. Em resumo, sempre esteja em busca de ser uma laranja completa, e busque uma outra laranja igualmente completa.

Seja bem-afeiçoado

Não é necessário ser um grande galã de filmes de Hollywood para ser eficaz na arte da paquera. No entanto, o mínimo de decência e autocuidado é sim bem-vindo e extremamente aconselhável. As primeiras impressões não são tudo, mas não podem ser subestimadas. De acordo com especialistas nas micro expressões faciais/linguagem corporal, em estudos recentes foi mostrado que o cérebro humano precisa apenas de mais ou menos meio segundo para julgar a personalidade de uma pessoa e dizer se ela lhe agrada ou não. É claro que nada impede você de mudar essa percepção inicial ao longo do tempo, mas eu não arriscaria e recomendo você não fazer o mesmo.

Não seja uma “porta humana”

Por último, mas não menos importante, pior que uma pessoa mal-cuidada somente aquela pessoa “sem emoções”. É óbvio que não posso excluir as individualidades de cada um. O introspectivo e extrovertido; o timído e o “sem-vergonha”  são pessoas que apenas tem uma maneira diferente de se socializar. E isso não os faz serem melhores ou piores que a maioria. No entanto, é certo dizer que há a necessidade de um mínimo de carisma, mas claro, nada o que o faça sentir desconfortável. Expresse-se, diga como se sente, elogie, e ame. Até mesmo em relações à distância é necessário demonstrar o seu verdadeiro ser. Aproveite e dê um passo além, dando uma olhada no que você deve saber sobre namoro pela internet.