Mais de 1 bilhão de jovens estão sob risco por uso de fone e música alta

COMPARTILHE !!
Por: Noticias ao Minuto  Data: 15/12/2022 às 17:51
Imagem: Reprodução/Google

Hábitos comuns entre o jovens, usar fones de ouvido – geralmente no último volume – e frequentar ambientes com música alta têm gerado preocupação por parte de especialistas. Um estudo publicado recentemente na revista científica BMJ Global Health estima que mais de 1 bilhão de adolescentes e jovens em todo o mundo correm o risco de sofrer perda auditiva por causa dessas práticas. Conforme o estudo, há uma necessidade urgente de priorizar políticas focadas em medidas preventivas da saúde auditiva.

A publicação analisou dados de 33 artigos revisados por pares publicados em inglês, espanhol, francês e russo entre 2000 e 2021, abrangendo 19.046 participantes com idades entre 12 e 34 anos de 20 países.

Parte dos estudos foi focada no uso de fones de ouvido, enquanto a outra avaliação ficou em torno dos impactos à audição que locais de entretenimento com música alta podem causar.

Ficou constatado que 48% dos participantes foram expostos a níveis de ruído em locais barulhentos, como shows ou boates. Revelou-se também que 24% dos jovens usaram excessivamente fones de ouvido em dispositivos como smartphones.

Tendo como base a estimativa da população mundial para esta faixa etária, que é em torno de 2,7 bilhões de pessoas, e levando em consideração os dois resultados, o estudo estima que entre 670 mil a 1,35 bilhão de jovens podem estar em risco de perda auditiva.

Exposição ao ruído
O risco de perda auditiva depende do volume, duração e frequência da exposição ao ruído. Para adultos, o nível considerado seguro é de 80 decibéis por 40 horas semanais, enquanto para crianças é de 75 decibéis. Já o valor acima de 120 decibéis pode provocar danos imediatos.

No entanto, os níveis permitidos mudam drasticamente de acordo com aumento do volume. Por exemplo, o tempo de exposição permitido de um som de 92 decibéis é de 2,5 horas. Quando o volume está em 98 decibéis, o tempo seguro cai para 38 minutos, e de um som de 101 decibéis, apenas 19 minutos são permitidos, de acordo com informações do estudo.

A pesquisa mostra que os usuários de dispositivos de escuta pessoal geralmente escolhem volumes de até 105 decibéis e os níveis médios de som em locais de entretenimento variam de 104 a 112 decibéis, portanto, excedendo os níveis permitidos, mesmo por períodos muito curtos de tempo. Desta forma, as descobertas sugerem que muitos jovens podem estar em risco de desenvolver perda auditiva permanente.

A perda auditiva é uma preocupação de saúde pública que merece reconhecimento e priorização global. Atualmente, mais de 430 milhões de pessoas em todo o mundo – mais de 5% da população mundial – têm perda auditiva incapacitante e sua prevalência pode quase dobrar se a prevenção não for priorizada. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o número aumentará para 700 milhões até 2050.

Os esforços globais de prevenção se beneficiariam de dados sobre a prevalência e a carga global de práticas de escuta inseguras para comunicar efetivamente a necessidade de intervenção preventiva por parte de governos, indústrias e outras partes responsáveis pela implementação de políticas, avalia o estudo.

Em geral, empresas que fabricam dispositivos como fones de ouvido ou aparelhos de veículos programam alertas para avisar o usuário quando o nível do volume é excessivo.

Novas recomendações para limitar o risco de perda auditiva, segundo a OMS

  • O padrão global para audição segura em locais e eventos destaca seis recomendações de implementação para garantir que locais e eventos limitem o risco de perda auditiva para seus frequentadores.
  • Nível sonoro máximo de 100 decibéis.
  • Monitoramento e registro de níveis de som usando equipamento calibrado por pessoal designado.
  • Otimizar a acústica do local e os sistemas de som para garantir uma qualidade de som agradável e uma audição segura.
  • Disponibilizar proteção auditiva individual para o público, incluindo instruções de uso.
  • Acesso a zonas de silêncio para as pessoas descansarem os ouvidos e diminuírem o risco de danos auditivos.
  • Formação e informação para os trabalhadores do local.
  • Veja como proteger sua audição, de acordo com a OMS:
  • Mantendo o volume baixo em dispositivos de áudio pessoais.
  • Usando fones de ouvido bem ajustados e, se possível, com cancelamento de ruído.
  • Usando tampões de ouvido em locais barulhentos.
  • Fazendo check-ups auditivos regulares.
  • Defendendo o novo padrão global.