Maio Amarelo: Alagoas registra redução de mais 15% no número de mortes no trânsito

COMPARTILHE !!
Por: Ascom Poal  Data: 18/06/2022 às 08:58
Imagem: AlagoasWeb/Arq

No último mês, quando foi celebrado o movimento Maio Amarelo, Alagoas registrou uma redução de 15,68% no número de vítimas fatais em acidentes de trânsito, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (17), pela Polícia Científica de Alagoas, após um trabalho detalhado realizado pelo setor de estatística do órgão integrante da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Em 2021, os Institutos de Medicina Legal (IMLs) de Maceió e Arapiraca receberam 51 corpos, e este ano foram 43 cadáveres, sendo 79,07% do sexo masculino, e 20,93% do sexo feminino. Desse total de mortos, 23 foram recolhidos em locais de acidentes de trânsito, e outros 20 chegaram a ser socorridos, mas acabaram morrendo em unidades hospitalares, como o caso do menino João Bernardo, atropelado na rodovia AL-101 Sul, em Marechal Deodoro, que foi levado ao HGE, onde entrou em óbito.

Ainda sobre o perfil dessas vítimas, os dados mostram que 2 eram crianças (faixa etária de 0 até 12 anos de idade incompletos) e 4 eram adolescentes (faixa etária entre 12 até os 18 anos incompletos). A maioria das vítimas, um total de 20, está na faixa etária entre 30 e 59 anos de idade, 12 vítimas tinham entre 18 e 29 anos de idade, e 5 acima de 60 anos.

Em maio, as cidades que registraram o maior número de acidentes com vítimas fatais foram Maceió, com 6 mortes; Arapiraca, Barra de São Miguel, Marechal Deodoro e São José da Tapera, com 3 mortes; e Girau do Ponciano, Limoeiro de Anadia, Maragogi, Palmeira dos Índios, Pilar e Rio Largo, com 2 mortes. Já outros 14 municípios registraram 1 morte por acidente de trânsito.

REDUÇÃO ANUAL
Nos cinco primeiros meses deste ano, quando comparado ao mesmo período do ano passado, também houve uma redução 11,36% no índice de mortes no trânsito de Alagoas. De acordo com os dados da Polícia Cientifica, em 2022 foram necropsiados 234 corpos e em 2021 passaram por exames cadavéricos 264 corpos de pessoas vítimas fatais de acidentes de natureza de transito, como atropelamentos e abalroamentos.

De janeiro a maio, 69 municípios registraram ocorrências de trânsito com vítimas fatais, e do total de casos, 104 pessoas chegaram a ser socorridaS, mas faleceram em uma unidade de saúde. Os municípios com maior índice são Maceió, com 36 óbitos; Arapiraca; com 18; Porto Calvo; com 9, e Girau do Ponciano, Palmeira dos Índios e São Sebastião, cada um com 8 mortes.

Para o Perito-geral Manoel Melo, a Polícia Científica do Estado de Alagoas desempenha importante papel para que se conheça os diversos aspectos que compõem os eventos que resultam em lesões e morte violenta, no caso em tela as ocorrências de tráfego. E o conhecimento desses aspectos tem forte papel preventivo, resultando, em última análise, na pacificação social.