‘Maconha’ de hoje em dia é mais forte e mais viciante que antes

COMPARTILHE
Por: The Lancet Psychiatry via News Medical  Data: 27/07/2022 às 09:53
Fonte de Imagem: Reprodução

Segundo um estudo publicado na revista Lancet Psychiatry na última segunda-feira (25), altas concentrações de THC (tetrahidrocanabinol), o psicoativo da cannabis (popular maconha), têm potencial para tornar a população cada vez mais viciada.

O artigo aponta que, à medida que a potência dos produtos à base de cannabis aumentou internacionalmente ao longo dos anos, também subiram as taxas de pessoas em tratamento para o vício. Para chegar nisso, os cientistas revisaram 20 estudos, que somados envolveram quase 120 mil pessoas.

Estudos recentes conduzidos por essa mesma equipe sugerem que a concentração de THC na cannabis aumentou significativamente ao longo do tempo, o que significa que a cannabis usada hoje é tipicamente muito mais forte do que anteriormente.

De acordo com os autores, as pessoas que usam cannabis de alta potência são mais propensas a dependência e a experimentar um transtorno psicótico, como a esquizofrenia. Em paralelo, dados do European Monitoring Centre for Drugs and Drug Addiction mostram um aumento de 76% nas pessoas que iniciaram o tratamento para a dependência de cannabis na última década.

“Esses resultados são importantes no contexto da redução de danos que visa minimizar as consequências negativas associadas ao uso de drogas. É importante reconhecer que um número significativo de pessoas em todo o mundo usa cannabis regularmente, e garantir que elas possam tomar decisões informadas para reduzir quaisquer possíveis danos associados”, apontam os autores.

Na prática, as descobertas sugerem que as pessoas que usam cannabis podem reduzir o risco de danos usando produtos de menor potência, ou seja, com menor concentração de THC. Anteriormente, estudos já destacaram o potencial da planta em reduzir a depressão.