IML identifica um dos corpos encontrado em rio na cidade de Porto Calvo

COMPARTILHE
Por: Poal  Data: 22/02/2022 às 14:56
Fonte de Imagem: Poal

O Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima (IML de Maceió), confirmou na manhã de hoje (22) a causa da morte dos jovens encontrados em Porto Calvo, município da região norte do litoral alagoano. O exame necroscópico médico-legal realizado pela perita Médica legista Plúvia Cristalina, constatou que as vítimas foram mortas por projéteis de arma de fogo.

Corpos de dois homens são retirados de rio no interior de Alagoas

Os corpos dos dois homens foram encontrados na última sexta-feira (18), em um local de difícil acesso, as margens do Rio Comandatuba, na zona rural de Porto Calvo. Os restos mortais estavam em avançado estágio de decomposição impossibilitando o reconhecimento por familiares ou identificação papiloscópica através das digitais dos cadáveres.

Segundo a odontolegista Ana Paula Nemésio, coordenadora do Departamento de Identificação Humana do IML Estácio de Lima, até o momento, apenas um dos corpos foi identificado. Trata-se do jovem José Jonas de Barros Soares, de 20 anos de idade que estava desaparecido há uma semana.

O cadáver de Jonas Soares foi identificado através da perícia odontolegal realizada pelo perito odontolegista Dr. Wendel Shibasaki. O exame obteve êxito na identificação do falecido através de documentação odontológica/ortodôntica fornecida ao IML por familiares que estiveram na unidade para fazer a liberação do corpo.

“Por meio de uma radiografia panorâmica foi possível comparar dados morfológicos e de posicionamento dos dentes e arcos dentários com as características encontradas no cadáver, além de uma restauração de resina composta verificada em um dos dentes.” Explicou o perito odontolegista em seu laudo.

Devido ao estado de putrefação do segundo corpo, e a inviabilidade dos exames de necroscopapiloscopia e odontolegal, não foi possível identificá-lo. Seguindo os trâmites legais, a suposta família do jovem que procurou o IML para fazer a identificação foi informada que a liberação só será possível após exame de DNA Forense.