Homem que estuprou funcionária de loja quando chegava para trabalhar é preso

COMPARTILHE
Por: Ascom PC/AL  Data: 12/06/2020 às 05:55
Fonte de Imagem: Ascom PC/AL

Após um trabalho de investigação, a Polícia Civil realizou, no final da tarde desta terça-feira (9), uma operação composta por agentes da Delegacia Especializada de Roubos da Capital  (DERC) e da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), e coordenada pelos delegados Thiago Prado e Gustavo Henrique, que resultou na prisão do suspeito de ter praticado o crime de roubo e estupro, ocorrido na manhã da segunda-feira (8), no interior de uma loja, no bairro Farol, em Maceió.

O caso passou a ser investigado logo após o delito pela DERC e DEIC, e mediante diligências ininterruptas o suspeito, de 39 anos, foi localizado e preso na Rodoviária de Maceió, no bairro do Feitosa. Na sequência, os policiais civis seguiram até a casa dele, onde apreenderam as roupas utilizadas no momento do crime.

“A vítima disse que foi abordada quando entrava no seu local de trabalho, e que o autor do crime utilizava uma faca peixeira. Contou que o infrator praticou violência sexual, subtraiu objetos da loja e saiu em fuga, mantendo a vítima trancada em uma das salas do estabelecimento”, relatou o delegado Thiago Prado.

O titular da DERC disse ainda que uma denúncia anônima foi muito importante para a identificação do suspeito. "A população pode continuar a colaborar com o trabalho da Polícia dando informações de pessoas envolvidas em crimes, podendo utilizar o disque denúncia 181.

Depois de preso, o infrator foi conduzido para a Delegacia de Roubos, no bairro de Mangabeiras, e autuado em flagrante delito pelos crimes de roubo majorado, pelo uso de arma branca e estupro, que é considerado crime hediondo. A pena pode chegar a 20 anos de prisão. Ele já tinha antecendentes criminais por violência doméstica e por furto qualificado.

“Gostaria de enfatizar o trabalho extremamente rápido realizado pela Polícia Civil, dando uma resposta célere pra um crime tão estarrecedor e horrendo que foi praticado por este indivíduo”, destacou o delegado Gustavo Henrique, coordenador da GRE/DEIC.