Homem entrega celular perdido e reencontra família após 8 anos nas ruas

Não dá pra julgar as pessoas pela aparência. Ana Lopes levou um susto quando um morador em situação de rua entrou na padaria descalço atrás de uma moça e pegou no braço dela. Ela chegou a pensar em assalto, mas era apenas honestidade. Cezar queria entregar o celular que a jovem havia derrubado na rua sem perceber. A pedagoga e intérprete de Libras, de Belém do Pará, ficou tão supresa, aliviada e grata com a gentileza do homem, que dedidiu convidar o Cezar para tomar um lanche. Na conversa, Ana Lopes se surpreendeu com o palavreado e a bondade no coração de Cezar. Ela quis saber mais sobre a vida dele e descobriu que aquele ser humano precisava de ajuda. O homem contou sobre os dias difíceis. Ele estava longe da família há 8 anos e disse que vivia sendo assaltado nas ruas, por isso estava sem documentos. Tocada, Ana tirou uma foto junto com o homem, postou nas redes sociais e pediu ajuda dos seguidores para encontrar a família dele. A virada

COMPARTILHE
Por: Só Noticia Boa  Data: 07/10/2020 às 14:49
Fonte de Imagem: Reprodução/Facebook

Não dá pra julgar as pessoas pela aparência. Ana Lopes levou um susto quando um morador em situação de rua entrou na padaria descalço atrás de uma moça e pegou no braço dela. Ela chegou a pensar em assalto, mas era apenas honestidade. Cezar queria entregar o celular que a jovem havia derrubado na rua sem perceber.

A pedagoga e intérprete de Libras, de Belém do Pará, ficou tão supresa, aliviada e grata com a gentileza do homem, que dedidiu convidar o Cezar para tomar um lanche.

Na conversa, Ana Lopes se surpreendeu com o palavreado e a bondade no coração de Cezar. Ela quis saber mais sobre a vida dele e descobriu que aquele ser humano precisava de ajuda.

O homem contou sobre os dias difíceis. Ele estava longe da família há 8 anos e disse que vivia sendo assaltado nas ruas, por isso estava sem documentos.

Tocada, Ana tirou uma foto junto com o homem, postou nas redes sociais e pediu ajuda dos seguidores para encontrar a família dele.

A virada

Isso foi no dia 23 de setembro. Quatro dias depois, a família de Cezar foi encontrada no Maranhão e começava ali o final feliz da história do homem honesto que vivia nas ruas.

“Nosso Cezar, está conosco, sua família está esperando por ele neste momento. Meu coração exulta em Deus… Sim, chorei, sim estou muito feliz, sim, eu amo Cezar, meu doce e amado irmão”, escreveu Ana Lopes no Facebook.

O reencontro

Na semana passada Cezar finalmente voltou para os braços da família dele.

Ele gravou um vídeo agradecendo a Deus e às pessoas que o ajudaram nesse recomeço de vida.

Nesta terça, 7, Ana Lopes fez uma chamada de vídeo e conheceu a família de Cezar por telefone.

O sorriso dele e dos familiares mostrou que valeu a pena e que começou por três motivos:

Um telefone celular derrubado no meio da rua, a boa índole de um homem – que era invisível para a sociedade porque andava descalço, não tinha boas roupas, nem onde morar – e da gratidão de uma mulher que teve a iniciativa de ajudar alguém que ela sequer conhecia até então.