Homem é preso por matar cães e vender carne como sendo de bode

COMPARTILHE
Por: Folha PE  Data: 11/01/2022 às 14:07
Fonte de Imagem: Reprodução

Um homem de 62 anos foi preso no Ibura, Zona Sul do Recife, na noite do último sábado (8), suspeito de maus-tratos contra animais. Testemunhas relatam que ele resgatava cães das rua e, em seguida, os matava para vender a carne como se fosse de bode em mercados públicos. A Polícia Civil de Pernambuco informou ao Folha Pet que instaurou inquérito para apurar o caso.

Protetora de animais há mais de 40 anos, Maria do Carmo Figueiredo França de Souza, conhecida como Carmo Proteção, foi quem fez a denúncia e resgatou 17 animais da casa do homem, incluindo cães, galinhas e periquitos. Ela disse que foi no sábado até a residência após ser alertada por vizinhos e se deparou com a situação de maus-tratos. 

Imagens compartilhadas por Maria do Carmo com a reportagem mostram as condições precárias do local, com fezes e carcaças de animais espalhadas, bem como muitos cães machucados e doentes e até corpos em estado de decomposição.

“Veio uma viatura da PM passando e perguntei se podiam ajudar. Quando chegaram na casa, tinha cadáveres, pedaços de animais, animais comendo outros animais, debilitados, fracos, com tumores, com tapurus. Uma coisa horrível”, relatou Carmo Proteção, que contou com a ajuda do médico veterinário Roberto Silva e deve buscar mais quatro animais no local.

Relatos de testemunhas contados à protetora indicam que ocorriam sessões de maus-tratos durante a madrugada. “Uma vizinha veio e disse que de madrugada escutava muitos gritos [dos animais]. Quando chegou na delegacia, o delegado perguntou a ele o que fazia com os bichos e ele disse que precisava fazer isso porque a mulher ia vender os animais para se sustentarem”, acrescentou a protetora.

Essa mulher, que seria esposa do homem preso, ainda não foi identificada e localizada. 

“Ele jogava água quente nos cães, tirava a pele e vendia como bode. O pessoal disse que todo mundo ali comprava, mas não sabia que era cachorro. Ele saía com um isopor [para levar às feiras] e tinha uma mulher que saía daqui com uma Hilux”, completou Carmo.

A protetora disse que a carne dos cães era vendida como bode em feiras como Águas Compridas, em Olinda, e Água Fria, na Zona Norte do Recife. A polícia investiga a denúncia da venda de carne de cachorro.

Investigação
Por meio de nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou ao blog que prendeu o homem em flagrante delito através da Delegacia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Segundo a corporação, o homem foi autuado pelo crime de Crueldade contra Animais doloso e consumado.

Esse crime está previsto na Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que versa sobre crimes contra a fauna. A pena pode ser de um a três anos de detenção, além do pagamento de multa.

“O policiamento local foi ao lugar e, após a constatação da situação dos animais, o proprietário da residência foi conduzido à delegacia”, disse a corporação.

O inquérito foi instaurado, e a polícia disse que outras informações poderão ser repassadas “após a completa elucidação do caso”.

O Folha Pet entrou em contato com a Secretaria Executiva dos Direitos dos Animais do Recife (Seda) para saber se houve alguma ação da pasta no caso. A assessoria de comunicação informou que recebeu uma denúncia, na sexta-feira (7), e enviou equipe de fiscalização ao local.

"Ao chegar no endereço, foi verificado que uma pessoa resgatou um cachorro e o socorreu para o Hospital Veterinário do Recife Robson José Gomes de Mello (HVR). No HVR, o cão recebeu todo o atendimento disponível e necessário para a situação. Contudo, devido à gravidade do quadro e a confirmação de uma série de doenças, foi necessário encaminhar o animal para internação em outra unidade", afirmou a Seda no comunicado.

A secretaria acrescentou que acionou a Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma), órgão responsável por instaurar inquéritos, para investigar o caso.