Governo de Alagoas vai decretar situação de emergência devido às fortes chuvas

COMPARTILHE !!
Por: Agência Alagoas  Data: 26/05/2022 às 06:25
Imagem: Agência Alagoas

O Governo de Alagoas vai publicar um decreto de situação de emergência devido às fortes chuvas que atingem o Estado desde a noite dessa terça-feira (24) e que já causaram inúmeros danos estruturais, deixando centenas de desabrigados nos municípios. O anúncio foi feito pelo governador Paulo Dantas na tarde desta quarta-feira (25), durante coletiva de imprensa. Na ocasião, ele ressaltou que o decreto, que será publicado após apresentação dos relatórios de avaliação de danos dos municípios, vai garantir maior agilidade no atendimento à população. 

Antes de conversar com os jornalistas, Paulo Dantas esteve reunido  virtualmente com prefeitos de cidades afetadas pelo temporal, secretários de Estado e representantes de órgãos como a Defesa Civil Estadual e o Corpo de Bombeiros. O governador colocou a estrutura do Estado à disposição para o atendimento aos gestores municipais, de forma que eles possam entrar em contato direto com os chefes de pastas como a Saúde, Segurança e Transportes para resolver as demandas. 

“Precisamos trabalhar com objetividade, e vocês devem entrar em com contato direto com os secretários. A ideia é que possamos trabalhar unindo esforços para levar soluções para o povo que está sofrendo com as chuvas. Vamos assinar um decreto de emergência para atender a população o mais rápido possível”, afirmou o governador, ressaltando que a prioridade são os municípios que apresentam situação mais grave, como é o caso de Feliz Deserto. 

“Com o decreto, poderemos providenciar materiais, cestas nutricionais, colchões, cobertores e abrigo para as famílias de forma mais célere”, completou Paulo Dantas, acrescentado que entrará em contato com o governo federal para dar ciência da situação vivida pelo Estado  e para que Alagoas possa  receber o apoio necessário. 

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Moisés Melo, destacou o alerta que havia sido feito pelo órgão para que nenhum município fosse pego de surpresa pelas fortes chuvas. E afirmou que as equipes estão de plantão, fazendo o monitoramento da situação a todo o momento. 

A parceria entre a Defesa Civil Estadual e os municípios também foi ressaltada pelo presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), prefeito Hugo Wanderley, que destacou que, atualmente, 95% dos municípios já contam com equipes próprias de Defesa Civil, o que tem ajudado bastante na redução dos danos. 

O comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBM/AL), coronel Jaques Wolbeck Godoi, disse que os homens da Corporação têm atuado fortemente, desde a madrugada, no atendimento aos chamados. São casos de inundações, quedas de árvores, desabamentos e deslizamentos que chegam ao órgão por meio do 193 ou da própria Defesa Civil. 

Na região de Penedo, bastante afetada pelo temporal, o CBM precisou chamar o efetivo que estava de folga e foi necessário solicitar caminhonetes a outros órgãos do Estado para um atendimento mais rápido aos chamados. “Só na Região Metropolitana, são 180 militares atendendo às ocorrências e estamos prontos para convocar a reserva de folga, caso seja necessário. Por enquanto, o efetivo tem sido suficiente”, afirmou o comandante. 

Balanço parcial
 Com a previsão de chuvas até, pelo menos, esta quinta-feira (26), o coordenador da Sala de Alerta da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Vinícius Pinho, fez uma exposição durante a reunião com os prefeitos e apontou que o estado é de alerta, tendo em vista que, a partir de agora, qualquer precipitação é considerada problemática, pois o solo já está encharcado. 

As regiões do Baixo São Francisco, Zona da Mata e Agreste estão entre as mais afetadas pelas chuvas, que atingiram 90% dos municípios do Estado. Pontes em Limoeiro de Anadia e de Piaçabuçu/Penedo foram afetadas e duas barragens são motivo de preocupação, nos municípios de Girau do Ponciano e Lagoa da Canoa. 

Os órgãos de monitoramento também estão atentos ao nível das águas dos rios, como o Jacuípe, que atingiu a cota de inundação durante a manhã, mas se manteve estável ao longo do dia. No Vale do Mundaú, onde também havia sido registrado um aumento do nível do rio, houve uma pequena redução nesta tarde, o que pode ser considerada uma boa notícia. 

Além disso, é grande o número de desabrigados nos municípios. Em Rio Largo, são cerca de 220 pessoas; em Feliz Deserto, cerca de 40. Já em Coruripe, esse número chega a 300. Deslizamentos e quedas de árvores também foram problemas registrados por causa do temporal.