Excesso de água, quando pode fazer mal a saúde?

O excesso de água no organismo pode causar a hiponatremia, que provoca o desequilíbrio das principais funções do corpo, sendo prejudicial à saúde. Sempre fomos orientados a tomar bastante água durante o dia, e dessa forma, manter o corpo hidratado e funcionando perfeitamente. No entanto, nos últimos anos, estudos foram realizados quanto à quantidade certa a ser consumida e se o excesso de água, ou hiponatremia, causa malefícios à saúde. E o resultado é que sim, o excesso de água pode ser prejudicial. Portanto, beber muita água pode provocar o desequilíbrio na concentração de eletrólitos no sangue, principalmente o sódio. Ademais, o problema causado se chama hiponatremia ou intoxicação hídrica. A hiponatremia consiste na queda do nível de sódio no sangue, podendo causar intoxicação por água. Cujos sintomas são dor de cabeça, fadiga, náusea, vômito, desorientação mental e em alguns casos, pode levar a uma parada cardíaca. Em suma, os rins são responsáveis por controlar a quantidade de água, sais minerais e outras substâncias no corpo. Então, a hiponatremia acontece quando os rins não conseguem liberar essas substâncias, o que deixa o sangue como se estivesse encharcado. Já que a água é atraída por regiões onde os sais se concentram, dessa forma acaba entrando nas células. No entanto, de acordo com especialistas, é muito difícil que uma pessoa que não use medicação desenvolver a hiponatremia apenas bebendo água. Um exemplo onde é possível acontecer é em maratonas, onde os corredores perdem muito sais minerais na sudorese e faz a hidratação apenas com água. Também está relacionado a alterações hormonais, como o hormônio antidiurético e ao uso de determinados medicamentos. Como saber quando há excesso de água no organismo?

COMPARTILHE
Por: Segredos do Mundo  Data: 07/03/2021 às 17:47
Fonte de Imagem: Med Students

O excesso de água no organismo pode causar a hiponatremia, que provoca o desequilíbrio das principais funções do corpo, sendo prejudicial à saúde.

Sempre fomos orientados a tomar bastante água durante o dia, e dessa forma, manter o corpo hidratado e funcionando perfeitamente. No entanto, nos últimos anos, estudos foram realizados quanto à quantidade certa a ser consumida e se o excesso de água, ou hiponatremia, causa malefícios à saúde.

E o resultado é que sim, o excesso de água pode ser prejudicial. Portanto, beber muita água pode provocar o desequilíbrio na concentração de eletrólitos no sangue, principalmente o sódio. Ademais, o problema causado se chama hiponatremia ou intoxicação hídrica.

A hiponatremia consiste na queda do nível de sódio no sangue, podendo causar intoxicação por água. Cujos sintomas são dor de cabeça, fadiga, náusea, vômito, desorientação mental e em alguns casos, pode levar a uma parada cardíaca. Em suma, os rins são responsáveis por controlar a quantidade de água, sais minerais e outras substâncias no corpo.

Então, a hiponatremia acontece quando os rins não conseguem liberar essas substâncias, o que deixa o sangue como se estivesse encharcado. Já que a água é atraída por regiões onde os sais se concentram, dessa forma acaba entrando nas células.

No entanto, de acordo com especialistas, é muito difícil que uma pessoa que não use medicação desenvolver a hiponatremia apenas bebendo água. Um exemplo onde é possível acontecer é em maratonas, onde os corredores perdem muito sais minerais na sudorese e faz a hidratação apenas com água. Também está relacionado a alterações hormonais, como o hormônio antidiurético e ao uso de determinados medicamentos.

Como saber quando há excesso de água no organismo?

É mais comum apresentar excesso de água no organismo, pessoas que tenham algum tipo de distúrbio que faz com que a capacidade que o organismo tem de excretar a água diminua. Ou que aumente a retenção de água no corpo. Pois, raramente apenas beber água, poderá causar a hiponatremia, que consiste na hidratação excessiva do corpo, acumulando mais água do que eliminando.

Inicialmente, pode não haver sintomas, mas, geralmente o excesso de água causa confusão ou convulsões na pessoa. Para esses casos, o médico poderá indicar a restrição de ingestão de líquidos e o uso de medicamentos diuréticos.

Também há casos de pessoas que sofrem de um transtorno psiquiátrico chamado de polodipsia psicogênica, que faz com que bebam água em excesso.

Como resultado, os níveis de sódio no sangue abaixam consideravelmente, o que pode ser perigoso para a pessoa. No entanto, pessoas onde a hipófise, os rins, o fígado e o coração funcionam perfeitamente, o risco de o organismo ficar com excesso de água é praticamente nulo. Pois, para que um adulto com função renal normal desenvolvesse a hiponatremia, seria necessário que ele consumisse mais de 20 litros de água por dia.

Agora, pessoas com distúrbio cardíaco, renal, hepático ou bebês prematuros (os rins são prematuros), podem ter mais facilidade em desenvolver a hidratação excessiva. Assim como determinados medicamentos, como antidepressivos, também podem fazer com que a pessoa fique mais suscetível ao problema.

Por fim, a síndrome de secreção inadequada do hormônio antidiurético, onde a hipófise secreta vasopressina em excesso, o que faz com que os rins comecem a reter água.

Sintomas

Quando há hidratação excessiva no organismo, pode resultar em alguns sintomas, que vão depender do quanto de excesso de água há no organismo. Pois, as células cerebrais são bastante suscetíveis aos níveis baixos de sódio no sangue. Portanto, caso a hiponatremia seja leve ou moderada, as células celebrais tem um tempo para se adaptar. Como resultado, pode causar sintomas mais brandos como letargia e dificuldade de manter o foco. Porém, quando a hidratação excessiva ocorre muito rápido, os sintomas tendem a ser mais fortes, tais como:

  • Dor de cabeça
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Dificuldade em manter o equilíbrio
  • Confusão mental ou desorientação
  • Convulsões
  • Dificuldade para respirar
  • Visão desfocada
  • Em casos mais graves, a pessoa pode entrar em coma e morrer

Isso acontece porque, quando há excesso de água no organismo, a água acaba se deslocando para dentro das células. Dessa forma, o sangue aumenta seu volume e começa a se acumular nos pulmões ou na parte inferior das pernas.

Excesso de água: quando prejudica a saúde

Com o excesso de água no organismo, o corpo sofre com uma espécie de intoxicação por água. Ou seja, a água em excesso faz com que o sódio disponível no corpo seja diluído, resultando na hiponatremia. Ademais, quanto menor for a quantidade de sódio por litro de sangue, maior será o risco de afetar o funcionamento do cérebro. E consequentemente, causar lesões permanentes no tecido cerebral devido ao inchaço do cérebro.

O excesso de água pode ser mais agravante em pessoas com doença cardíaca ou renal, pois o desequilíbrio de sódio pode afetar tanto o funcionamento do coração, quanto o dos rins. Por isso, em caso de suspeita de hiponatremia, é importante procurar por um médico, para que seja feito um diagnóstico e tratamento adequado.

Quantidade ideal de água para manter a hidratação
Catraca Livre

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a quantidade ideal de água a ser consumida por dia é de 2, 5 litros para um homem de 70 kg. E de 2,2, litros para uma mulher de 58 kg. No entanto, especialistas afirmam que basta beber quando houver sede. Ou, até mesmo observar a cor da urina, por exemplo, se ela estiver escura, significa que está muito concentrada, portanto falta água no organismo. Ademais, quando o rim é saudável, ele é capaz de filtrar de 800 ml a 1 litro de água por hora. Então, consumir mais de 3 litros de água em uma hora, pode aumentar o risco de desenvolver a hiponatremia.

Em suma, o excesso de água é prejudicial à saúde, mas, a falta também é prejudicial. Pois a água exerce funções como:

  • Realizar o transporte de nutrientes e detritos celulares, que resultam dos processos metabólicos.
  • Transportar hormônios, como enzimas e células sanguíneas.
  • Dissolve substâncias, promove reações químicas, etc.
  • Ajuda na eliminação de toxinas através da urina.
  • Lubrifica articulações.
  • Mantem a temperatura do organismo regulada.
  • Fundamental para os processos fisiológicos: digestão, absorção, assimilação e excreção.

Portanto, é importante manter o corpo bem hidratado, pois assim, as funções vitais permanecem funcionando perfeitamente. Porém, não se deve substituir a água por bebidas calóricas e cheia de açúcar. Pois, podem causar diversos problemas à saúde. Outra preocupação é quanto aos idosos, já que são muito mais sensíveis a desidratação.

Excesso de água: tratamento
Minuto Água

Para o tratamento, o médico deve ser procurado, pois apenas ele é capaz de identificar a real situação do paciente. Além de saber diferenciar entre uma hidratação excessiva e o excesso de água no sangue. O que pode ser feito através de exames de sangue e urina, onde a concentração de eletrólitos deve ser verificada. Ademais, o tratamento envolve a restrição de líquidos. Mas, em caso de doença cardíaca, hepática ou renal, o médico pode indicar a restrição de sódio também, já que ele provoca a retenção de água.

Por fim, se o paciente fizer uso de medicamentos que causam o excesso de água, ele deve ser interrompido e diuréticos devem ser receitados. E o monitoramento deve ser feito até que o paciente não apresente mais sintomas da hiponatremia.

9 dicas para saber quando você está com excesso de água

Segue algumas dicas para que você saiba se tem excesso de água no seu organismo:

  • Se você carrega uma garrafinha de água para todo lugar que vai e a enche imediatamente logo que acaba, pode ser que esteja bebendo água em excesso.
  • Bebe água mesmo sem estar com sede.
  • A urina sai muito clara, quase transparente.
  • Acorda com frequência durante a noite para ir ao banheiro.
  • Sente náuseas, vômitos e tem diarreia.
  • Fadiga.
  • Te dores de cabeça latejantes durante todo o dia (é sintoma tanto de desidratação, quanto de hidratação em excesso).
  • Mãos, lábios e pés inchados e com aspecto descolorado.
  • Fraqueza e espasmos nos músculos e cãibras frequentes.

Por fim, é importante ficar atento a qualquer desses sintomas e procure o médico caso seja necessário. No entanto, vale lembrar que assim como o excesso de água é prejudicial ao corpo, a falta de água também pode afetar o bom funcionamento do organismo.