Dor na língua: 9 principais causas e o que fazer

COMPARTILHE
Por: Tua Saúde  Data: 24/02/2022 às 15:47
Fonte de Imagem: pixabay

A dor na língua, conhecida cientificamente como glossalgia, geralmente é provocada por alterações visíveis como feridas ou infecções. No entanto, a dor na língua também pode surgir devido a problemas mais difíceis de identificar, como deficiências nutricionais ou síndrome da boca ardente, por exemplo, e que necessitam de tratamento.

Dessa forma, sempre que a dor na língua surge sem razão aparente ou não melhora após 1 semana, é aconselhado consultar um dentista, um clínico geral ou um otorrinolaringologista para identificar o problema e iniciar o tratamento adequado.

É importante determinar a causa do desconforto na língua para descartar, diagnosticar e tratar precocemente alguma doença que possa estar a causar este sintoma.

1. Lesões ou aftas

As lesões na língua são muito comuns, surgindo principalmente quando se morde a língua ou se come alimentos muito duros como balas, pirulitos ou torradas. Essas feridas, embora possam ser pequenas, são bastante dolorosas, uma vez que a língua é um músculo muito flexível que se mexe constantemente.

Semelhante às feridas, são as aftas, que se desenvolvem devido a vários fatores, como excesso de estresse, consumo de alimentos ácidos, uso de aparelhos dentários ou sistema imune enfraquecido.

O que fazer: uma ótima forma para aliviar rapidamente a dor provocada por estas lesões consiste em fazer bochechos de água morna com sal, pelo menos, 3 vezes por dia. Além disso, é importante manter a higiene adequada da boca, escovando os dentes após comer, para evitar infectar as feridas e aliviar os sintomas.

2. Irritação da língua

A irritação da língua é quase tão frequente como as aftas e acontece principalmente após escovar a língua com muita força ou após utilizar substâncias irritantes para a boca, como enxaguantes bucais com álcool, por exemplo. Já o consumo de comidas muito picantes, com muito piri-piri ou pimenta, também podem provocar irritação e sensação de queimação por várias horas.

O que fazer: deve-se evitar ingerir álcool ou colocar na boca substâncias irritantes. Colocar uma pedrinha de gelo na língua pode também ajudar a aliviar a dor.

3. Queimaduras

A queimadura da língua acontece quando se ingere algum alimento recém saído do forno ou quando se encosta um objeto quente à língua, por exemplo. Embora, a dor aguda melhore pouco tempo após a queimadura, a língua pode ficar dolorida por alguns dias até recuperar completamente.

O que fazer: uma excelente dica é comer algo gelado, como sorvete ou um cubo de gelo, para parar a queimação e diminuir a dor.

4. Deficiências nutricionais

A falta de alguns nutrientes como a vitamina B12 ou o ferro, pode causar anemia, resultando numa sensação de queimação ou língua dolorida, associada a outros sintomas como cansaço excessivo, palidez ou fome excessiva.

O que fazer: se não existir outra razão aparente para a dor na língua é aconselhado consultar um médico de família que irá pedir um exame de sangue para avaliar a hipótese de ser anemia.

5. Língua geográfica

A língua geográfica é uma alteração que pode surgir na infância e que normalmente desaparece por volta dos 7 anos, com aparecimentos manchas vermelhas de bordas brancas ou acinzentadas na língua, que podem provocar queimação ou dor, especialmente ao comer alimentos salgados ou ácidos.

Quando a criança está com dor na língua ou sensação estranha, mas não é possível identificar nenhuma alteração, deve-se confirmar a possibilidade de ter ingerido algum químico, como detergente.

O que fazer: este problema deve ser diagnosticado por um pediatra, pois se causar dor deve ser feito tratamento com anti-inflamatórios, por exemplo.

6. Candidíase oral

A candidíase é uma infecção muito comum que normalmente aparece quando o sistema imune está enfraquecido, como acontece após um resfriado ou depois de tomar antibióticos, por exemplo. Além da dor na língua, esta infecção pode ainda causar outros sintomas como manchas brancas na boca ou dificuldade para engolir.

O que fazer: o mais importante é manter a higiene oral adequada para ajudar a eliminar o excesso de bactérias e fungos, assim como evitar alimentos muito açucarados ou gordurosos. Nos casos mais graves pode ser necessário utilizar remédios como a nistatina.

7. Síndrome da boca ardente

A síndrome da boca ardente, ou SBA, é uma condição que causa ardência na boca sem que que exista uma causa identificável. Nesta síndrome, além da dor na língua, podem ainda aparecer outros sintomas como boca seca ou gosto amargo na boca, sendo importante consultar um dentista ou otorrinolaringologista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado.

O que fazer: o tratamento é feito de acordo com a causa e tem como objetivo aliviar os sintomas, podendo ser feito com o uso de medicamentos ou mudanças no estilo de vida.

8. Câncer de língua

O câncer de língua é um tipo raro de tumor que pode atingir tanto a parte superior quanto a parte inferior da língua, podendo causar sintomas como ferida na língua que não cicatriza ou sangra facilmente.

Além disso, o câncer de língua pode causar dor na língua ou na boca, desconforto para engolir e para mastigar ou surgimento de um caroço na língua que não desaparece ao longo do tempo.

O que fazer: deve-se consultar o clínico geral ou dentista, para que sejam realizados exames para confirmação do diagnóstico, principalmente a biópsia. Caso seja confirmado o câncer de língua, o médico pode indicar o tratamento mais adequado que geralmente inclui cirurgia para remoção das células malignas, quimioterapia ou radioterapia.

9. Quimioterapia ou radioterapia

Alguns tratamentos para o câncer, como a quimioterapia ou radioterapia, podem causar efeitos colaterais e afetar a boca, levando ao surgimento de sensação de queimação na língua ou mucosas da boca, dor, alterações do paladar, boca seca ou infecções na boca, gengiva ou garganta, como a candidíase, por exemplo.

Além disso, quando a radioterapia é realizada na região da língua pode causar queimaduras na língua, perda do paladar, vermelhidão, dor, feridas na boca ou garganta, o que pode levar a dificuldade para mastigar ou engolir.

Geralmente, os efeitos colaterais da quimioterapia melhoram cerca de 6 a 8 semanas após o término do tratamento. No entanto, no caso da radioterapia na língua, as papilas gustativas podem ficar danificadas, e a alteração do paladar pode ser permanente.

O que fazer: é importante seguir as orientações do oncologista, que pode recomendar manter uma boa higiene da boca, escovando os dentes com frequência, além do uso de remédios para aliviar a dor, como anestésicos bucais, ou antibióticos para combater infecções.

Além disso, pode ser recomendado pelo médico ou dentista, o uso de enxaguantes bucais sem álcool ou bochechos com solução de bicarbonato de sódio. Em alguns casos, o dentista ou o estomatologista podem realizar um tratamento com laserterapia para ajudar a combater a infecção na boca e aliviar os sintomas.