Comer areia pode ser o novo caminho para combater a obesidade

COMPARTILHE !!
Por: Diário da Saúde  Data: 25/10/2022 às 09:33
Imagem: Ilustração

Partículas de areia purificada podem se tornar a próxima terapia anti-obesidade. Pesquisadores australianos comprovaram que a sílica porosa pode impedir que gorduras e carboidratos sejam adsorvidos no corpo.

Sílica é o nome do óxido de silício, sendo um dos principais componentes da areia comum.

Mas não corra para comer areia: As partículas de sílica usadas na pesquisa foram cuidadosamente sintetizadas a partir de areia purificada.

Elas foram fabricadas na forma ideal, projetadas para apresentar uma elevada área de superfície, que lhes permite absorver grandes quantidades de enzimas digestivas, gorduras e açúcares no trato gastrointestinal.

Segundo os pesquisadores, a nova terapia à base de sílica será mais suave para o estômago e com menos efeitos colaterais desagradáveis associados ao medicamento anti-obesidade convencional, o orlistat.

“A sílica porosa tem recebido cada vez mais atenção por seu potencial anti-obesidade, com testes em humanos mostrando que é uma terapia segura. No entanto, exatamente como ela funciona tem iludido os pesquisadores – até agora. Nossa pesquisa mostra como a sílica porosa promove um efeito anti-obesidade ao funcionar localmente no intestino para restringir a digestão e absorção de gorduras e carboidratos,” disse o professor Paul Joyce, da Universidade do Sul da Austrália.

Efeito da sílica porosa contra obesidade
A equipe espera que a descoberta do princípio de atuação da areia de sílica no trato gastrointestinal possa mudar os resultados de saúde de bilhões de pessoas que lutam contra a obesidade.

“Mais importante, espera-se que o mecanismo suave forneça resultados clinicamente eficazes para perda de peso, sem efeitos adversos,” disse Joyce.

A equipe examinou várias amostras de sílica, de diferentes tamanhos e formatos, e sob condições simuladas que imitavam o ambiente gastrointestinal durante a digestão de refeições ricas em gordura e ricas em carboidratos.

Eles constataram que partículas de sílica porosa com larguras de poros entre 6 e 10 nanômetros são ideais para desencadear uma resposta inibitória a gorduras e açúcares.

“Esta pesquisa identificou parâmetros definidos para a sílica porosa gerar efeitos anti-obesidade,” disse o Dr. Joyce. “Os próximos passos serão validar essas descobertas com modelos animais de obesidade, para que possamos determinar quaisquer variações para condições ideais de anti-obesidade.”