Chuvas já mataram 55 pessoas em MG; Volume de aguas é o maior dos últimos 110 anos

COMPARTILHE
Por: Array / Agência Brasil  Data: 29/01/2020 às 20:03
Fonte de Imagem: Defesa Civil/MG

Desalojados são mais de 44 mil e desabrigados passam de 8 mil

O número de mortes por causa das chuvas em Minas Gerais subiu para 55, conforme atualização da Defesa Civil estadual divulgada no início da noite desta quarta-feira (29). Até o balanço de meio do dia, eram 53 óbitos. As mortes ocorreram em 19 cidades, a maioria na capital, Belo Horizonte (13).

A maior parte das mortes (42) foi causada por soterramentos, deslizamentos e desabamentos. Nove pessoas foram arrastadas pelas águas e quatro morreram por afogamento. Um homem está desaparecido na cidade de Conselheiro Lafaiete. Há 65 pessoas feridas.

Até o momento, 53.309 pessoas foram afetadas pelos estragos. O número de desalojados totalizou 44.929 e o de desabrigados, 8.529. São consideradas desalojadas as pessoas que tiveram de deixar suas casas e se abrigar na casa de parentes e amigos ou buscar outras opções temporárias. Já os desabrigados são aqueles que estão acomodados provisoriamente em locais públicos improvisados – na maioria dos casos, em escolas ou igrejas.

Em todo o estado, 137 cidades tiveram a situação de emergência decretada. Ontem o número era de 121. Cinco municípios estão em estado de calamidade pública: Orizânia, Ibirité, Catas Altas, Taparuba e Muriaé.

Em Belo Horizonte, as chuvas bateram o recorde de maior temporal da história da capital. Na noite de ontem (28), em três horas, o volume de água chegou a 183mm.

A onda de temporais teve início na semana passada e vem castigando principalmente a região metropolitana e a região leste do estado.

Volume
Faltando dois dias para o fim do mês, janeiro de 2020 pode ser classificado como o mês em que mais choveu em Belo Horizonte ao longo dos últimos 110 anos. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), até as 9 h de hoje (29), choveu 932,3 milímetros (mm) na capital mineira. É o maior volume acumulado para o período, em toda a série histórica, iniciada em 1910.

Segundo o meteorologista do Inmet, Olívio Bahia do Sacramento Neto, o volume acumulado ainda não é o maior registrado no estado. Isso porque, em janeiro de 1991, a estação de Águas Claras registrou um total de 998,7 mm. Além disso, em 1961, em Montes Claros, foi registrada uma precipitação mensal de 956,6 mm.

A ressalva, contudo, é que os dois maiores resultados dizem respeito aos totais registrados no fim dos respectivos meses de janeiro e, faltando ainda dois dias para janeiro acabar, a previsão é de mais chuva pelos próximos dias.