Ataque da Rússia destrói o Antonov-255 Mriya, maior avião do mundo

COMPARTILHE
Por: Olhar Digital  Data: 27/02/2022 às 15:09
Fonte de Imagem: URSS/Domínio Público

O Antonov-255 Mriya, maior avião de carga do mundo, foi destruído pelas forças militares russas durante mais um ataque ao aeroporto Hostomel, nas imediações de Kiev, capital da Ucrânia. A aeronave, uma maravilha da engenharia, é um projeto da empresa estatal ucraniana Antonov.

Em sua página no Facebook, a Ukroboronprom, associação que reúne as principais empresas de diferentes setores da indústria de defesa ucraniana, declarou que a aeronave foi queimada. “Os ocupantes russos destruíram o carro-chefe da aviação ucraniana, o lendário 225 Mriya”, disse a entidade.

A informação foi confirmada pelo ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, nas redes sociais. “Esta foi a maior aeronave do mundo, AN-225 ‘Mriya’ (‘Sonho’ em ucraniano)”. “A Rússia pode ter destruído nosso ‘Mriya’. Mas nunca poderão destruir o nosso sonho de um Estado europeu forte, livre e democrático. Vamos prevalecer!”, completou o político.

Destruição vinha sendo ventilada desde quinta-feira
O aeródromo da Antonov em Hostomel foi tomado pelas forças militares russas na última quinta-feira (24), e, desde então, surgiram vários boatos de que o 255 Mriya havia sido destruído. Porém, a destruição da aeronave vinha sendo desmentida por autoridades russas e ucranianas.

Apesar de a destruição do Antonov-255 Mriya só ter sido confirmada neste domingo, as disputas pelo aeroporto causaram sérios danos à estrutura da aeronave. De acordo com os russos, foi a tentativa de defesa dos ucranianos que causou os danos ao avião de carga.

Uma outra unidade do Mriya, que não tinha condições de voo e estava bastante incompleta, foi destruída por militares russos. Isso gerou uma séria confusão, sobre se o avião havia ou não sido destruído, porém, a destruição do Antonov-255 Mriya já vinha sendo tratada como apenas uma questão de tempo.

Avião era parte do programa espacial soviético
O Antonov-225 Mriya foi construído como parte do programa espacial soviético. Foi encomendado para transportar o Buran, um veículo espacial da União Soviética, mas que nunca chegou a decolar com tripulação. O avião foi feito na Ucrânia, e o veículo espacial, na Rússia.

A aeronave tinha 84 metros de comprimento, 88 metros de envergadura e 175 toneladas sem carga, podendo transportar 250 toneladas no compartimento de cargas. O gigante contava com seis motores turbofans Ivchenko-Progress D-187 e possuía velocidade máxima de 850 km/h.