A volta da tranquilidade no interior do estado

COMPARTILHE
Por: Divulgação  Data: 17/02/2021 às 13:35
Fonte de Imagem:

A realidade da violência no interior estava mudando nos últimos anos, mas pôde sentir o baque das medidas para impedir o avanço da COVID-19, criando incertezas para quem voltava a desfrutar de um estilo de vida mais calmo.

Durante muito tempo, o elevado índice de pessoas que iam do interior do estado para a capital Maceió, fez com que a vida no interior fosse tranquila, e pautada por muito trabalho e um estilo de vida pacato.

No entanto, a imagem começou a ser distorcida, já que criminosos passaram a enxergar nas regiões mais afastadas uma oportunidade de se esconder, e cometer ações criminosas devido à quantidade menor de patrulhamento e ostensividade da polícia.

Com a intenção de devolver a tranquilidade no interior do estado, a Secretária de Segurança Pública passou a desenvolver e colocar em prática uma série de ações integradas para punir e coagir as ações violentas para as cidades mais afastadas da capital.

Desconsiderando o ano de 2020, que foi atípico em todo o mundo, devido à exigência de esforço para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus, os números apresentados pelo governador Renan Filho, referente a 2019, são realmente animadores.

O ano de 2019 terminou com o menor número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) já registrado desde o início da série histórica, uma redução recorde de 51% quando comparado com os anos de 2011, que foi o pior índice já obtido, e de 22,2% quando a comparação ocorre com o ano anterior.

Ainda que a maior parte dos esforços para conter a criminalidade ocorreram na capital Maceió, os municípios mais afastados foram fundamentais para a diminuição dos números. Ou seja, a imagem das pessoas com suas cadeiras de jardim sentadas na frente de casa conversando e desfrutando do final de tarde, volta a tornar uma realidade no interior do estado.

No entanto, é necessário ter alguma ressalva sobre como os índices de violência irão se desenvolver no estado, devido principalmente a crise gerada pela pandemia, que impacta em demais questões, predominantemente em relação à economia.

Infelizmente, é esperado que os problemas na economia sejam convertidos em criminalidade, ocasionados pelo empobrecimento da população, condição abaixo da linha da pobreza de muitas pessoas e pouco perspectiva futura.

Como o interior do estado de Alagoas depende muito do turismo, setor que deve sofrer um impacto relativamente duradouro com a extensa crise econômica, os números de 2021 não devem ser tão animadores. Ainda assim, é importante depositar esperança nas ações públicas para garantir que a tranquilidade reine no interior do estado, assim como ocorreu no ano de 2019.

Atualmente, já existem medidas que tramitam para aquecer a economia e incentivar o turismo, como a regulamentação de cassinos em ambientes controlados de resorts, no entanto, ainda não há um prazo e ainda depende da votação e aprovação do poder público, o que, infelizmente, costuma levar muito tempo.

Por hora, só resta acreditar que todas as frentes que os políticos acreditam que irão solucionar os problemas de saúde, economia e segurança, surtam um efeito conjunto que continue progredindo para manter o clima pacato e tão desejado no interior do estado.