6 remédios para regular a menstruação

COMPARTILHE
Por: Tua Saúde  Data: 10/03/2022 às 07:46
Fonte de Imagem: Ilustração

Existem alguns remédios que podem ajudar a regular a menstruação, como os anticoncepcionais ou os medicamentos para regular a tireóide, que permitem controlar os níveis de hormônios no corpo que quando estão desregulados, podem interferir no ciclo menstrual, atrasando ou causando sangramentos fora do período menstrual.

Além disso, outros remédios, como o ácido tranexâmico ou o ibuprofeno, também podem ser usados, pois permitem diminuir os sintomas e desconfortos da menstruação irregular, como sangramentos intensos ou dor durante o período menstrual, causados por condições como miomas ou síndrome dos ovários policísticos.

O tratamento da menstruação irregular deve sempre ser orientado pelo ginecologista, que irá indicar o melhor remédio para regular a menstruação, de acordo com a causa, de forma individualizada.

Alguns dos remédios mais utilizados para regular o ciclo menstrual irregular são:

1. Anticoncepcionais 
Os anticoncepcionais orais, além de serem usados para evitar uma gravidez, são os remédios mais usados para regular o ciclo menstrual, sendo eficazes no tratamento de miomas uterinos, já que ajudam a aliviar a intensidade da menstruação e reduzem o tamanho do mioma, e também a diminuem os sintomas causados pela endometriose, como menstruação abundante ou dor pélvica que piora durante a menstruação.

Além disso, os anticoncepcionais podem ainda ser usados para regular o ciclo menstrual nos casos de síndrome dos ovários policísticos ou de adenomiose uterina, especialmente quando acompanhada de sangramento intenso.

Existem casos em que mesmo com o uso dos anticoncepcionais, a menstruação continua irregular, sendo importante consultar o ginecologista, que pode recomendar a mudança do tipo de anticoncepcional.

2. Medroxiprogesterona 
A medroxiprogesterona é um remédio hormonal que ajuda a regular a menstruação nos casos de ausência de 3 ou mais ciclos menstruais, causados pela síndrome dos ovários policísticos ou hiperprolactinemia, por exemplo. 

Além disso, este remédio pode ser útil para diminuir o sangramento intenso da menstruação causado por desequilíbrios hormonais, ajudando a regular a menstruação.

3. Remédios para regular a tireoide
Em alguns casos, a menstruação irregular pode ser causada por hipotireoidismo, que é uma doença caracterizada pela baixa atividade da tireóide, que produz menos hormônios do que aquilo que é necessário para o bom funcionamento do organismo. 

Nestes casos, o tratamento consiste no uso de remédios que regulam os hormônios da tireóide, como a levotiroxina, por exemplo.

4. Ácido tranexâmico
O ácido tranexâmico é um remédio que não atua diretamente na causa da menstruação irregular, mas que ajuda a controlar o sangramento excessivo da menstruação, pois garante uma maior estabilidade do coágulo sanguíneo, sendo por isso bastante utilizado no tratamento de episódios hemorrágicos em mulheres com menstruação irregular.

5. Anti-inflamatórios
Os anti-inflamatórios, como cetoprofeno, naproxeno ou ibuprofeno, também podem ser indicados em algumas doenças que tornam o ciclo menstrual irregular, como é o caso dos miomas. Embora não tratem a causa da menstruação irregular, ajudam a reduzir os sintomas, especialmente as cólicas menstruais intensas e o excesso de sangramento.

Estes medicamentos podem ainda ser usados para tratar a adenomiose uterina, pois reduzem a inflamação do útero e aliviam as cólicas menstruais.

6. Terapia de reposição hormonal
A terapia de reposição hormonal pode ser outro dos tratamento indicado pelo ginecologista, especialmente no período da perimenopausa, que é a fase de transição entre a vida reprodutiva e a não reprodutiva, em que a mulher pode apresentar menstruação irregular, devido às alterações hormonais normais dessa fase. 

Esse tipo de tratamento utiliza remédios que repõem os níveis de hormônios, como estrogênio e progesterona, que estão diminuídos na perimenopausa, aliviando os sintomas comuns como menstruação irregular, ondas de calor e suor noturno, por exemplo. 

A terapia de reposição hormonal deve ser sempre orientada por um ginecologista ou endocrinologista, pois não é indicado para todas mulheres e deve ser evitada principalmente por mulheres com histórico de câncer de mama ou do endométrio.