Vasos sanguíneos das mulheres envelhecem mais rápido que os dos homens

COMPARTILHE
Por: Array / Yahoo  Data: 26/01/2020 às 10:55
Fonte de Imagem: Reprodução Gravidez Saudavel

Os vasos sanguíneos das mulheres podem envelhecer mais rapidamente do que o dos homens, sugere uma pesquisa.

Cientistas do Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, realizaram leituras de pressão arterial de mais de 32.000 pessoas em 43 anos, com participantes variando de 5 a 98 anos de idade.

Eles descobriram que a pressão arterial, um indicador de risco de doença cardíaca, aumentava muito mais cedo entre as participantes mulheres do que entre os homens.

A equipe concluiu que isso se devia à “função vascular” de uma mulher evoluindo “de maneira muito diferente” dos vasos de um homem.

“Muitos na medicina acreditavam que as mulheres simplesmente ‘alcançam’ os homens em termos de risco cardiovascular”, disse a autora do estudo, Susan Cheng.

“Nossa pesquisa não apenas confirma que as mulheres têm biologia e fisiologia diferentes dos homens, mas também ilustra por que as mulheres podem ser mais suscetíveis ao desenvolvimento de certos tipos de doenças cardiovasculares e em diferentes pontos da vida”.

Os homens jovens enfrentam um risco maior de doenças cardíacas do que as mulheres, de acordo com a Escola de Medicina de Harvard.

A doença tende a atingir homens aos 65 anos, enquanto a idade média para uma mulher ter seu primeiro ataque cardíaco nos EUA é de 72 anos.

No entanto, as estatísticas também sugerem que mais mulheres morrem de doenças cardíacas a cada ano, do que ocorre com homens.

Sendo a pressão arterial um sinal de alerta de ataques cardíacos e derrames, os cientistas usaram isso para descobrir diferenças no risco cardiovascular entre os sexos.

Os resultados, publicados na revista ‘JAMA Cardiology’, revelam que as participantes do sexo feminino “exibiram um aumento mais acentuado da pressão arterial que começou na terceira década de vida e continuou ao longo da vida”.

Após o ajuste de fatores que aumentam o risco de doença cardíaca, como tabagismo e inatividade, a descoberta seguiu sendo estatisticamente significativa.

E o motivo?
“Nossos dados mostraram que as taxas de aceleração da elevação da pressão arterial eram muito maiores em mulheres que em homens, começando mais cedo na vida”, disse Cheng.

“Isso significa que, se definirmos o limiar da hipertensão exatamente da mesma maneira, uma mulher de 30 anos com pressão alta provavelmente terá um risco maior de ter uma doença cardiovascular do que um homem com pressão alta na mesma idade”.

Isso contradiz “a noção de que doenças vasculares nas mulheres se desenvolvem mais lentamente do que em homens, numa diferença de 10 a 20 anos”.

Em vez disso, as elevações da pressão arterial “progridem mais rapidamente nas mulheres do que nos homens, começando cedo na vida”.

Esses aumentos “iniciais precoces” da pressão arterial podem “preparar o cenário para doenças cardiovasculares na vida adulta que tendem a se apresentar de maneira diferente, não apenas mais tarde, nas mulheres, em comparação aos homens”.

“Este estudo é mais um lembrete para os médicos de que muitos aspectos de nossa avaliação e terapia cardiovascular precisam ser adaptados especificamente para as mulheres”, disse Christine Albert, do Instituto Smidt Heart de Cedars-Sinai.

“Os resultados de estudos realizados em homens podem não ser diretamente aplicáveis para as mulheres.”