Usina Roçadinho deve retomar atividades com produção de etanol a base de batata-doce

Tecnologia já existe e está em funcionamento em outros estados do pais

COMPARTILHE
Por: Array / AlagoasWeb  Data: 05/11/2018 às 09:10
Fonte de Imagem: AlagoasWeb/Arquivo
Tecnologia já existe e está em funcionamento em outros estados do pais

A Usina Roçadinho, empresa pertencente ao Grupo Mendo Sampaio, deve ser reativada nos próximos dias. A informação foi confirmar por ex-colaboradores da empresa à reportagem do AlagoasWeb.

“A área da destilaria está sendo reformada e breve deve começar a funcionar com a produção de álcool a base de batata-doce, é basicamente isso que ficamos sabendo lá mesmo”, afirma o ex-funcionário, que esteve no local a procura de emprego.

Ainda segundo as informações, a área da destilaria foi vendida a um grupo, supostamente estrangeiro (chinês), que explora a produção de etanol a base de outras culturas, como a própria batata-doce e milho.

Cerca de 40 pessoas já estão trabalhando na reforma de toda a estrutura da destilaria, mas novos empregados devem ser contratados para área administrativa, industrial, de campo e segurança. Currículos estão sendo entregues no local.

Diferente da variedade negociada no mercado comum, a raiz utilizada para a produção de álcool é chamada de BDI (Batata-Doce Industrial). A BDI tem um tamanho disforme, é rústica e mal cabe numa panela.

O tubérculo ‘gigante’ tem alto teor de amido, o que é fundamental para a extração de álcool, além de ser bem mais produtiva que a cana, podendo ser colhida de duas a três vezes por ano.

Por ser uma planta rustica, de fácil adaptação e manejo, o plantio tornasse de grande vantagem para o pequeno produtor. Além do etanol, a tecnologia empregada na usina é capaz de produzir açúcar, álcool em gel e ração animal.