Toque retal não é útil para detectar precocemente o câncer de próstata

Por: Diário da Saúde  Data: 14/03/2023 às 09:22
Imagem: Romankosolapov/Envato

Um método comum de detecção do câncer de próstata, chamada toque retal, pode não ser preciso o suficiente como uma ferramenta de triagem confiável por si só, alertam médicos alemães.

O exame retal é amplamente utilizado pelos médicos para verificar a próstata com um dedo inserido pelo reto em busca de inchaço incomum ou caroços, como uma verificação inicial de sinais de câncer de próstata em homens.

Mas uma nova pesquisa realizada por cientistas do estudo PROBASE, coordenado pelo Centro Alemão de Pesquisa do Câncer (DKFZ), indica que a técnica pode estar perdendo muitos cânceres em seus estágios iniciais, que é justamente a razão alegada pelos urologistas para que os homens façam esse exame.

Os resultados, apresentados no Congresso Anual da Associação Europeia de Urologia, em Milão, devem levar a ajustes nas técnicas de detecção precoce do câncer de próstata, dizem os pesquisadores. Eles estão pedindo que outros métodos de teste sejam usados na triagem de rotina.

“Uma das principais razões para o rastreamento do câncer de próstata é detectá-lo nos pacientes o mais cedo possível, pois isso pode levar a melhores resultados do tratamento,” disse a Dra. Agne Krilaviciute, coordenadora da equipe. “Mas nosso estudo sugere que o toque retal simplesmente não é sensível o suficiente para detectar esses cânceres em estágio inicial”.

Não detecta o câncer
O PROBASE é um estudo multicêntrico de triagem de câncer de próstata em quatro universidades (Munique, Hannover, Heidelberg e Dusseldorf) e envolveu 46.495 homens com 45 anos de idade que foram inscritos entre 2014 e 2019. Desde então, os voluntários tiveram acompanhamento para avaliar sua saúde nos anos após a triagem. Metade dos participantes fez o teste de sangue do antígeno específico da próstata (PSA) imediatamente aos 45 anos, enquanto a outra metade fez o toque retal aos 45 anos, com a triagem de PSA retardada para os 50 anos.

Por fim, 6.537 homens no grupo de rastreamento tardio foram submetidos ao toque retal e apenas 57 desses homens foram encaminhados para uma biópsia de acompanhamento devido a achados suspeitos. Mas apenas três foram diagnosticados com câncer.

Quando comparada à taxa de detecção por outros métodos, como o teste de PSA, a taxa de detecção pelo toque retal foi substancialmente menor.

“O toque retal estava dando resultado negativo em 99% dos casos, e mesmo aqueles considerados suspeitos tiveram uma baixa taxa de detecção,” disse a Dra. Krilaviciute. “Os resultados que vimos no estudo PROBASE mostram que o teste de PSA aos 45 anos detectou quatro vezes mais cânceres de próstata.”

Os pesquisadores acreditam que uma das razões pelas quais o toque retal pode estar falhando em detectar cânceres, particularmente em homens mais jovens, é porque as mudanças no tecido da próstata podem ser muito pequenas para serem detectadas com um dedo. Além disso, alguns tipos de câncer ocorrem em uma parte da próstata que não pode ser facilmente alcançada pelo dedo do médico.