Tempestades solares atingem a Terra nesta semana. Há algum perigo?

COMPARTILHE
Por: NOAA / Space  Data: 31/03/2022 às 10:26
Fonte de Imagem: Reprodução

Pelo menos duas tempestades solares devem chegar à Terra nesta semana, mas não devem causar impactos graves na infraestrutura das redes elétricas e satélites. Foram quase 20 erupções emitidas pelo Sol partir de uma única mancha solar, em apenas dois dias.

De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA), duas ejeções de massa coronal (CMEs), “cuspidas” da mancha solar hiperativa AR2975 na segunda-feira (28), estão vindo em direção à Terra. Elas podem desencadear uma tempestade geomagnética classificada como G3 (forte) na escala do NOAA.

Isso significa que na quinta-feira (31) o céu das regiões próximas ao polo Norte provavelmente será colorido pelas de auroras que acompanham as tempestades geomagnéticas. Felizmente, embora a tempestade esteja classificada como forte, não deverá causar estragos no campo magnético do planeta.

Astrônomos de todo o mundo, profissionais e amadores, monitoram a atividade solar continuamente para mapear as manchas solares e observar seus movimentos. Nos últimos dias, a quantidade e extensão dos grupos de manchas tem sido elevada, possível de observar até mesmo sem a ajuda de telescópios (mas com os devidos equipamentos de proteção para os olhos).

Atualmente, são três regiões visíveis de manchas solares no disco voltado para a Terra. O grupo AR2975 é magneticamente complexo e ainda está se desenvolvendo, enquanto o grupo AR2976 é a maior mancha no disco. Outras tempestades podem ocorrer até o dia 3 de abril.

Há outro alerta de tempestade solar classificada como G2 (moderada) para sexta-feira (1º de abril) e um alerta menor classificado como G1 (fraca) para hoje, quarta-feira (30). O satélite DSCOVR da NOAA detectará as mudanças do vento solar em tempo real e os meteorologistas emitirão os avisos atualizados e outras explosões solares de classe moderada possam ocorrer nos próximos dias.