Safra canavieira no Norte-Nordeste deve atingir 57 mi t em 22/23, Alagoas 14 mi

COMPARTILHE
Por: Com Nova Cana  Data: 31/08/2022 às 06:13
Fonte de Imagem: AlagoasWeb/Arq

Dados compilados pela Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) indicam perspectivas positivas para a safra 2022/23 no Norte-Nordeste. A região, segundo cálculos da entidade que congrega 35 usinas em 11 estados brasileiros, deverá moer 57 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, volume superior à produção de 54 milhões de toneladas registrada na safra 2021/22.

Segundo o presidente-executivo da NovaBio, Renato Cunha, a moagem no Norte e em curso nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Maranhão, Pará, Piauí, Tocantins, Bahia e Sergipe já superou 5,1 milhões de toneladas até 20 de agosto deste ano.

“Esse volume corresponde a 8,9% do total previsto para a safra 2022/23, de 57 milhões de toneladas. Em termos de perfil de produção, o açúcar deverá apresentar um protagonismo maior em função das condições de mercado mais favoráveis”, explica o executivo, que também preside o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool do Estado de Pernambuco (Sindaçucar-PE).

Ainda, em uma primeira estimativa para o Nordeste, a NovaBio projeta uma moagem de 19,5 milhões de toneladas em Alagoas; de 14 mi t em Pernambuco; de 6,3 mi t na Paraíba; de 5,2 mi t na Bahia; de 3,1 mi t no Rio Grande do Norte; de 2,5 mi t no Maranhão; de 1,5 mi t no Piauí; e de 1,9 mi t em Sergipe.

Na região Norte, a entidade espera um aumento de 3% nos estados do Tocantins e Amazonas, que deverão moer 2,44 milhões 320 mil toneladas, respectivamente. No Pará, a estimativa é que sejam esmagadas 1,3 milhão de toneladas de cana.

O fechamento da safra 2022/23 nos estados da Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Piauí, Tocantins e Amazonas acontece em abril. Já em agosto de 2023, a moagem será encerrada em Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte, Bahia, Paraíba e Sergipe.

Safra anterior
No ciclo de moagem 2021/22 do Norte-Nordeste, já encerrado, as unidades produtoras do Nordeste esmagaram 46,41 milhões de toneladas, enquanto as do Norte processaram 7,59 milhões de toneladas.

No total, uma produção de 54 milhões de toneladas foi alcançada pelas 53 usinas presentes em 11 estados da região. O volume foi 3,8% maior do que o verificado na safra 2020/21, quando foram registradas 52 milhões de toneladas.

Na safra 2021/22, a fabricação de açúcar atingiu a marca de 2,9 milhões de toneladas, quantidade similar à verificada na safra anterior.

Já a fabricação total de etanol foi praticamente estável em relação ao ciclo anterior. Somando anidro e hidratado, o Norte-Nordeste entregou 2,1 bilhões de litros ao mercado. O destaque foi a produção do etanol anidro, que atingiu 1,02 bilhão de litros, 7% a mais ante a safra 2020/2021, quando foram produzidos 950 milhões de litros.