Pastor é criticado por expulsar homem vestido de mulher de culto

COMPARTILHE !!
Por: Array / Gospel Prime  Data: 16/11/2018 às 13:20
Imagem: Facebook/Reprodução

‘Não queremos drag queens aqui’, afirmou Antonio Rocquemore, que é acusado de homofobia

O pastor Antonio Rocquemore, do Ministério Internacional Power House, sediado em Chicago, (EUA), está sendo ostensivamente criticado por militantes LGBT da região por ter pedido que um fiel de sua igreja não vá aos cultos vestidos de mulher.

O vídeo do incidente viralizou nas redes sociais, tendo mais de um milhão de visualizações e teve grande repercussão na mídia. Na gravação é possível ouvir o pastor dizendo: “Deus não pode agir da maneira como quer, pois estabeleceu um padrão…. Prefiro que o céu esteja contente comigo que ter a aprovação das pessoas”.

Em seguida, olha para um fiel e diz: “Você pode sair desta igreja e colocar roupas de homem? E não venha mais aqui vestido assim. Temos um padrão. O que você faz lá fora é problema seu, mas não vou deixar drag queens virem aqui assim. Se você é homem, vista-se como homem”.

Após o assunto ser tema da mídia local, Rocquemore passou a ser criticado e chamado de “homofóbico” e “transfóbico”. Há quem defenda que ele não deveria expulsar o homem, mas demonstrar amor.

Em sua defesa, o pastor explicou que já havia conversado com o homem expulso sobre o assunto. O jovem é membro da igreja a meses e já havia sido orientado sobre o que a Bíblia fala sobre masculinidade.

Afinal, Deuteronômio 22:5 diz claramente: “A mulher não usará roupas de homem, e o homem não usará roupas de mulher, pois o Senhor, o seu Deus, tem aversão por todo aquele que assim procede”.

Rocquemore disse também que como membro, o homem sabia que existem padrões de conduta e aquela foi uma atitude de desafio. “Ele não foi expulso da igreja porque é gay. Primeiramente, eu não o ofendi. Eu não diferencio o pecado. O pecado é pecado. Não há necessidade de ofender os outros se você está pregando Palavra… Nesse caso em específico, eu o procurei várias vezes em particular”, assegura o pastor.

Ainda segundo o líder da igreja, o jovem, que já fora vestido de mulher ao culto antes, teria prometido que não faria mais isso. “Ele me desafiou. Só pedi que ele saísse, ninguém o forçou a sair”, encerrou.