O que é nomofobia? O chamado vício em smartphones

COMPARTILHE
Por: Array / Oficina da Net  Data: 19/03/2019 às 10:40
Fonte de Imagem: Reprodução

Pessoas que sofrem de nomofobia tendem a ficar irritadas, angustiadas, tristes, além de sintomas físicos ao ficarem longe de seus aparelhos

Atualmente, os celulares são praticamente indispensáveis nas nossas vidas. Nele, além de imagens, vídeos, documentos, também armazenamos nossos contatos, sejam eles através de números, ou mesmo dos famosos mensageiros. O fato é que estamos cada vez mais sedentos de todos os recursos que os aparelhos nos disponibilizam.

Certo dia li que as pessoas eram mais livres quando os telefones eram ligados a fios. Em partes, a ideia faz total sentido. Antigamente, as pessoas, ao saírem de suas residências, deixavam também os aparelhos telefônicos, sem qualquer preocupação de quem poderia ligar para elas, além disso, elas não ficam ao seu lado, esperando que ele tocasse. E agora? Sim, e agora? A resposta já sabemos. Esquecemos as chaves, mas o telefone, esse não!

O hábito de carregar o aparelho telefônico é rotineiro, como sabemos, para qualquer imprevisto ele está lá, para obter novidades, registrar uma imagem, ou mesmo bater um papo descontraído. Porém, algumas pessoas vão além disso, e sentem um desconforto muito grande ao terem que ficar longe de seus aparelhos, longe de todas as informações que ele pode trazer. O mesmo vale para outras tecnologias, como computadores e tablets. Esse medo exacerbado de perder um contínuo vínculo com a tecnologia possui um nome: Nomofobia.

O receio de ficar incomunicável leva muitas pessoas a terem episódios preocupantes. A identificação do problema não é tão simples, e alguns sinais precisam sem avaliados.

Conheça alguns sintomas da nomofobia:
Uso do celular quando não está sentindo-se bem;
Ficar extremamente aflito quando não está com o celular;
Perder compromissos familiares, sociais e até de trabalho por passar muito tempo no celular;
Desconforto físico e emocional ao não ficar longe do aparelho;
Perder vínculos afetivos ou trabalhistas em função do tempo passado no celular.

Caso você tenha se identificado com os sintomas mencionados acima, talvez seja necessário encontrar um modo para tentar conseguir ficar longe do aparelho sem sofrer nenhum efeito negativo. O ideal é que a pessoa encontre alternativas para ocupar o papel do celular na sua vida. Caso não consiga, talvez seja necessário buscar por ajuda profissional. Não esqueça que todo e qualquer exagero pode não ser o ideal, mesmo que não cause problemas para terceiros.