Monitor de Secas aponta avanço da seca em Alagoas em janeiro

Entre dezembro e janeiro, a área com seca grave e com seca moderada avançou em direção ao litoral de Alagoas

COMPARTILHE
Por: Assessoria  Data: 29/02/2020 às 08:02
Fonte de Imagem: Reprodução
Entre dezembro e janeiro, a área com seca grave e com seca moderada avançou em direção ao litoral de Alagoas

A última atualização do Monitor de Secas aponta que Alagoas registrou o aumento das áreas sob seca grave e moderada em direção ao litoral, mas permanecendo uma área reduzida sob seca fraca ao longo de quase todo o litoral com base nos índices analisados, principalmente de curto prazo. No estado, os totais de chuvas de janeiro foram baixos, como previsto pela climatologia para o mês. Os maiores volumes ocorreram no sertão alagoano com valores que não ultrapassaram 100mm até volumes inferiores a 10mm no litoral. Os impactos continuam de curto prazo no extremo leste e de curto e longo prazos no restante de Alagoas. 

Em janeiro deste ano aconteceram chuvas acima da média histórica em Minas Gerais, Espírito Santo, Tocantins, Maranhão, leste e sul do Piauí, centro-oeste da Bahia e extremo norte do Ceará com precipitações acumuladas entre 250mm e 300mm. No centro-sul de Minas e no nordeste do Maranhão, as chuvas ultrapassaram os 400mm em janeiro. Com isso, o Monitor de Secas registrou uma redução das áreas com seca sobretudo no Nordeste, Espírito Santo e Minas Gerais.

No histórico de janeiro as chuvas acumuladas atingem mais de 250mm, enquanto em Minas Gerais os acumulados podem passar de 300mm em algumas áreas e menos do que isso na divisa com a Bahia. Historicamente a chuva de janeiro no Espírito Santo não ultrapassa os 200mm. Já para os estados do Nordeste, os acumulados de chuva esperados para o mês são inferiores a 100mm em sua maioria, exceto para todo o Maranhão e o extremo oeste dos estados do Piauí e Bahia.  Já o litoral norte e o Cariri no Ceará, juntamente com o sertão da Paraíba, apresentam médias históricas superiores a 100mm em janeiro. 

Disponível em monitordesecas.ana.gov.br, o Monitor de Secas tem uma presença cada vez mais nacional, abrangendo os nove estados do Nordeste, Espírito Santo, Minas Gerais e Tocantins. Os próximos estados a se juntarem ao Monitor serão Goiás e Rio de Janeiro, que já estão em fase de testes e treinamento de pessoal. Esta ferramenta realiza o acompanhamento contínuo do grau de severidade das secas no Brasil com base em indicadores de seca e nos impactos causados pelo fenômeno em curto e/ou longo prazos. O Monitor vem sendo utilizado para auxiliar a execução de políticas públicas de combate à seca.

Clique aqui para verificar a situação de dezembro de 2019 em todos os estados com o Monitor de Secas.