‘Lázaro do Sertão’ é preso após 8 dias de buscas

COMPARTILHE
Por: Correio 24 Horas  Data: 07/02/2022 às 14:44
Fonte de Imagem: Reprodução

Oito dias após constantes buscas na região de Glória do Goitá, na Zona da Mata de Pernambuco, a Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (7), Edson Cândido Ribeiro, 35 anos, apontado como autor de assassinatos contra duas jovens no município na última semana. A informação inicial é de que ele teria se entregado em Vitória de Santo Antão. Ele foi levado para Caruaru, no Agreste.

A Polícia Civil informou que maiores informações sobre a prisão serão divulgadas em coletiva de imprensa no auditório da sede da Diretoria Integrada do Interior 1 (Dinter 1), em Caruaru, às 15h. Quem informará sobre o caso são os diretores integrados do interior 1 pela PCPE e PMPE, o delegado Jean Rockfeller e o coronel Paulo César Gonçalves, respectivamente.

As buscas por Edson começaram na segunda-feira passada, 31 de janeiro, em uma operação comandada pelo 21º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco que envolveu mais de 100 policiais e populares de cidades próximas. Nesse domingo (6), um helicóptero da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) o teria avistado, mas não obteve sucesso em encontrá-lo.

Horas antes, dois sacos de comida supostamente usados pelo suspeito foram encontrados na área rural da cidade. Após moradores entregá-los a policias, cães farejadores da Companhia de Policiamento com Cães (CIPCães) foram utilizados para ajudar o homem.

O clima em Glória do Goitá foi de tensão durante os dias de buscas. Por medo do homem, moradores da zona rural, principalmente mulheres, se deslocaram até o Centro da cidade. “As mães não querem ir trabalhar e deixar as filhas sozinhas em casa. É desesperador. O foco é pegá-lo, que a gente quer que a justiça seja feita, porque a gente não aguenta mais”, disse um morador, ainda no domingo, que não quis se identificar.

Veja também

‘Lázaro do Sertão’ é procurado em mata suspeito de estuprar e matar duas mulheres

Edson é apontado pela polícia como o principal suspeito de ter matado Kauany Maiara Marques da Silva, 18 anos, com quem já se relacionou, e Jailma Muniz da Silva, 19 anos. Kauany desapareceu no dia 29, um sábado, e teve o corpo encontrado três dias depois, na terça-feira (1º), na comunidade de Capuchinho, com sinais de violência.

O suspeito já teria se relacionado com Kauanny, a primeira vítima. Segundo um vizinho da jovem, ambos teriam brigado na noite do sábado (29), quando ela desapareceu. “Quando ouvi o grito da Kauany, eu perguntei, ‘ô, camarada, você está dando na mulher, é? Não tem medo da Maria da Penha não?’. Aí ele [respondeu] ‘não, está tudo numa boa. vou conversar com ela lá dentro’, disse Severino Brás.

Na madrugada de segunda-feira (31), ele teria tentado atacar mulheres que caminhavam no Centro da cidade, e na fuga teria encontrado Jailma. A agricultora e estudante foi, então, estuprada e assassinada enquanto levava o café da manhã para a mãe, que estava trabalhando na lavoura. O corpo foi encontrado na Zona Rural do município, às margens da rodovia PE-50, no mesmo dia.