Laudo do IML aponta que Boechat morreu em decorrência de politraumatismo

COMPARTILHE
Por: Array / Noticias ao Minuto  Data: 16/02/2019 às 07:35
Fonte de Imagem: Reprodução

Documento descarta inalação de monóxido de carbono

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre a morte de Ricardo Boechat indica que o jornalista morreu em decorrência de um politraumatismo causado pela queda do helicóptero e colisão com o caminhão. A informação é da 'GloboNews'.

O acidente aconteceu na alça de acesso do Rodoanel com a Rodovia Anhanguera, na última segunda-feira (11). O piloto da aeronave, Ronaldo Quattrucci, também morreu e o motorista do caminhão teve ferimentos leves.

O laudo, que a emissora teve acesso, não mostra sinais de fuligem na traqueia nem nos pulmões de Boechat. A concentração de monóxido de carbono no sangue do jornalista também é baixa (menos de 10%). Estes dados indicam que a vítima não morreu por conta da exposição ao gás.

Os traumatismos identificados foram torácico e abdominal, o que caracteriza um politraumatismo.