Jovem processa médico da mãe porque ‘não deveria ter nascido’

COMPARTILHE
Por: New York Post  Data: 05/12/2021 às 17:45
Fonte de Imagem: Instagram/Reprodução

Evie Toombes, uma jovem de 20 anos da cidade de Lincolnshire, na Inglaterra, ganhou o direito de receber uma indenização milionária após processar o médico de sua mãe, Caroline Toombes. A jovem, que nasceu com espinha bífida, uma condição que prejudica a qualidade de vida da criança, alega que nunca deveria ter nascido.

Em decisão inédita na história do Reino Unido, a juíza da Suprema Corte de Londres Rosalind Coe deu ganho de causa para Evie e concedeu a ela o direito de uma indenização. O valor a ser pago ainda não foi calculado, porém, deverá ser bem elevado, podendo chegar a cifras milionárias.

O que é espinha bífida?

A espinha bífida é uma condição relativamente comum em que a medula espinhal do bebê não se desenvolve durante a gestação. Isso pode acarretar uma outra condição, a hidrocefalia, que é o acúmulo de líquido dentro do cérebro. Isso pode causar um aumento excessivo do crânio e problemas de desenvolvimento.

De acordo com Evie Toombes, sua mãe não foi informada corretamente sobre a importância do ácido fólico durante a gravidez. Também conhecido como vitamina B9, ele tem papel importantíssimo durante a gestação, já que pode reduzir o risco de deficiências na coluna vertebral e no cérebro de bebês.

No processo, a jovem acusa o médico Philip Mitchell de concepção incorreta, por não ter aconselhado Caroline a tomar suplementos vitais antes e depois da gravidez. O médico, por sua vez, nega as acusações e diz ter dado conselhos razoáveis sobre o ácido fólico.

Tópico não foi abordado adequadamente

A mãe de Evie confirma que o tópico foi abordado durante a consulta, porém, o médico não informou sobre a importância da vitamina na prevenção de condições como a espinha bífida. De acordo com a advogada do caso, Susan Rodway, Caroline teria feito diferente se tivesse sido aconselhada adequadamente.

A gravidez de Evie Toombes foi extremamente planejada e, segundo Caroline, ela teria esperado bem mais tempo para engravidar e feito a suplementação com ácido fólico caso tivesse sido orientada pelo médico. 

Mitchell se defendeu dizendo que tem como prática receitar 400 microgramas de ácido fólico durante três meses para todas as mulheres que o procuram dizendo que querem engravidar. Ele afirma que orientou a mãe de Evie a manter uma boa dieta e bons níveis de ácido fólico.

Segundo Evie, os erros de Philip Mitchell fizeram com que ela tivesse sua qualidade de vida bastante prejudicada. Aos 20 anos, ela tem a mobilidade bastante limitada e precisará usar uma cadeira de rodas conforme for envelhecendo.