Identificados alagoanos mortos em acidente na BR 381 em MG

O interior de Alagoas está de luto pelos 18 mortos que ocupavam o ônibus que despencou de uma ponte na BR-381, nessa sexta-feira (5). As vítimas eram das cidades de Água Branca, Pariconha, Mata Grande e Delmiro Gouveia, todas no sertão alagoano, e estavam a caminho de São Paulo. Alguns voltavam para casa depois de visitar familiares, e outros estavam a caminho de fazer a visita quando o acidente aconteceu. Além dos 18 mortos, há, ainda, 13 pessoas hospitalizadas no hospital Santa Margarida, em João Monlevade, região Central de Minas. Sete já receberam alta. Três pessoas – um pai e dois filhos – foram transferidas, em estado grave, para o hospital João 23, em Belo Horizonte. Cinco pessoas chegaram a dar entrada na unidade de saúde, mas não resistiram e morreram. O veículo da empresa Localima Turismo saiu do povoado de Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande, Alagoas, às 9h da manhã da quinta-feira (3), em direção a São Paulo. Após uma falha mecânica, o ônibus caiu do local conhecido como Ponte Torta, de uma altura aproximada de 35 metros. Luto

COMPARTILHE !!
Por: Com BHAZ  Data: 06/12/2020 às 07:30
Imagem: Reprodução

O interior de Alagoas está de luto pelos 18 mortos que ocupavam o ônibus que despencou de uma ponte na BR-381, nessa sexta-feira (5). As vítimas eram das cidades de Água Branca, Pariconha, Mata Grande e Delmiro Gouveia, todas no sertão alagoano, e estavam a caminho de São Paulo. Alguns voltavam para casa depois de visitar familiares, e outros estavam a caminho de fazer a visita quando o acidente aconteceu.

Além dos 18 mortos, há, ainda, 13 pessoas hospitalizadas no hospital Santa Margarida, em João Monlevade, região Central de Minas. Sete já receberam alta. Três pessoas – um pai e dois filhos – foram transferidas, em estado grave, para o hospital João 23, em Belo Horizonte. Cinco pessoas chegaram a dar entrada na unidade de saúde, mas não resistiram e morreram.

O veículo da empresa Localima Turismo saiu do povoado de Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande, Alagoas, às 9h da manhã da quinta-feira (3), em direção a São Paulo. Após uma falha mecânica, o ônibus caiu do local conhecido como Ponte Torta, de uma altura aproximada de 35 metros.

Luto

Familiares e amigos das vítimas compartilham mensagens de luto nas redes sociais. “Que tristeza tão grande, palavras não são suficiente pra preencher esse vazio”, foi uma das mensagens direcionadas à família de Marcondes Lima. Alguns, porém, ainda não receberam informações sobre o estado de saúde de entes queridos que estavam no veículo. “Meu amigo Ednaldo do Nascimento era do Alto dos Coelhos e estava nesse ônibus, não temos notícias dele”, escreveu uma internauta alagoano no Instagram.

Veja a lista das pessoas mortas já identificadas do acidente:

  • Cícero Jeferson Andrade da Silva
  • Clemilton Santos Nascimento

Clemilton estava voltando para São Paulo, onde mora, depois de visitar familiares na cidade de Pariconha, em Alagoas. Ele chegou a gravar um vídeo algumas horas antes do acidenteA vítima chegou a ser socorrida e levada ao hospital Santa Margarida, mas não resistiu e morreu.

  • Cícero Oliveira Lima
  • Caio Lucas Santos
Caio Lucas Santos
Caio Lucas chegou a ir para o hospital, mas não resistiu (Reprodução/Ítalo Timóteo)
  • Elias Vieira Batalha, 59 anos
  • Maria Silma da Silva Batalha, 56 anos

Elias Vieira morreu na manhã desta sexta-feira, após ficar internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do hospital Santa Margarida. Ele e Maria Silma eram casados, e, de acordo com o portal alagoense Ítalo Timóteo, voltavam para casa, em São Paulo, depois de visitar familiares no povoado Santa Cruz do Deserto. 

Elias Vieira e Maria Silma
Casal voltava para São Paulo depois de visitar a família (Reprodução/Ítalo Timóteo)
  • Denise Maria do Nascimento, 27 anos
  • José Ricardo da Silva, 35 anos
josé ricardo
José Ricardo era chamado de “Gugu” por amigos (Reprodução/Ítalo Timóteo)
  • Lázaro Santos Barbosa, 15 anos
  • Marcondes Teixeira Lima, 25 anos
Marcondes Lima
Marcondes era do povoado de Sítio Serra do Cavalo, em Água Branca (Reprodução/marrcodes.liima/Facebook)
  • Manoel José da Silva, 63 anos
  • Joelson Queiroz dos Santos, 34 anos
  • José Roberto Santos da Silva, 26 anos
  • Amanda Lima Rodrigues, 16 anos*

Amanda era prima de Marcondes Lima. Ainda segundo o portal Ítalo Timóteo, eles estavam viajando a São Paulo para visitar alguns familiares. O nome da jovem ainda não foi confirmado oficialmente, pelo Corpo de Bombeiros, entre os mortos.

Amanda Lima
Amanda era prima de Marcondes Lima (Reprodução/Ítalo Timóteo)
  • Eva*
eva
Idosa estaria entre as vítimas do acidente (Reprodução/Ítalo Timóteo)

O nome de Eva também não foi confirmado oficialmente, pelo Corpo de Bombeiros, entre os mortos.

  • Grazy Lima*

Ainda de acordo com o portal, Grazy Lima estava sentada ao lado de José Ricardo da Silva no momento do acidente. O nome dela também não foi confirmado entre os mortos.

Grazy Lima
Grazy estaria com José Ricardo no ônibus (Reprodução/Ítalo Timóteo)
  • Cristina*

Cristina seria, ainda segundo o portal, outra vítima cujo nome ainda não foi confirmado entre os mortos.

Cristina
Morte ainda não foi confirmada pelas autoridades (Reprodução/Ítalo Timóteo)
O acidente

O veículo da empresa Localima Turismo saiu do povoado de Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande, Alagoas, às 9h da manhã da quinta-feira (3), em direção a São Paulo. Após uma falha mecânica, o ônibus caiu do local conhecido como Ponte Torta, de uma altura de 35 metros.

O motorista que dirigia o veículo percebeu que o freio havia falhado e gritou para que os passageiros pulassem, momentos antes da queda. A informação é de um homem, de cerca de 34 anos, que sobreviveu ao se jogar do veículo. O motorista pulou antes da queda e fugiu do local. Ele ainda não foi localizado. Além dos militares do Corpo de Bombeiros, dezenas de moradores da região atuaram como voluntários no local do acidente.

“O ônibus começou a dar falha, já vinha em alta velocidade, bateu em outro retrovisor, e já percebi que tinha algo errado. Fiquei em posição de movimento, e falei, ‘acho que aconteceu alguma coisa’. Quando o ônibus passou da metade da ponte, o motorista gritou: ‘Faltou o freio, pula, que faltou o freio!’”, contou o passageiro sobrevivente ao repórter Bell Silva, do jornal local O Popular.

A empresa Localima afirmou que não vai se furtar da responsabilidade. “Somaremos todas as nossas forças e emprenho para prestar total assistência às vítimas e aos familiares. Nada, absolutamente nada, trará de volta a vida das vítimas. Foi uma fatalidade que gostaríamos de ter evitado”, disse, em trecho de nota (leia a íntegra abaixo).

Nota da Localima na íntegra

“A empresa LOCALIMA vem, através da presente Nota, expressar nosso pesar e nossa profunda tristeza pelas vítimas e seus familiares acerca do acidente ocorrido no dia 04/12/2020. 

Informamos, ainda, que a LOCALIMA possui contrato de arrendamento junto à empresa J.S. TURISMO, a qual transporta seus passageiros dentro das regras dos órgãos fiscalizadores – ANTT e Polícia Rodoviária Federal. 

Não nos furtaremos da nossa responsabilidade, e somaremos todas as nossas forças e empenho para prestar total assistência às vítimas e aos seus familiares. 

Nada, absolutamente nada, trará de volta a vida das vítimas. Foi uma fatalidade que gostaríamos de ter evitado. 

Todos os fatos estão sendo apurados, e a nossa empresa possui interesse direto na devida elucidação, sendo certo que as reparações serão realizadas, caso a caso, para que a dor das vítimas e dos seus familiares sejam amenizadas. 

Lamentamos o ocorrido, e nos sentimos profundamente abalados por este grave acidente. Não obstante, nossa equipe esclarece que se coloca à inteira disposição, dando suporte humano, digno, com compaixão e empatia, para amenizar a dor daqueles que sofrem, sejam vítimas ou seus familiares. 

Com profundo pesar, LOCALIMA”.