Homem pode ter transmitido HIV para 10 mulheres propositalmente

COMPARTILHE
Por: iG  Data: 25/03/2022 às 06:09
Fonte de Imagem: Polícia Civil

Dois dias após a prisão de Leovaldo Francisco da Silva, de 37 anos, já chega a dez o número de mulheres que procuraram a delegacia de Pontalina (GO) dizendo terem sido vítimas do homem, que na segunda-feira, dia 21, foi indiciado pela Polícia Civil por lesão corporal gravíssima por conscientemente ter transimitido o vírus HIV para companheiras.

Sem avisá-las sobre sua condição, ele ainda insistia para que elas não usassem preservativos. Ao menos três vítimas já apresentaram aos investigadores diagnóstico positivo para a doença, enquanto outras ainda aguardam resultado.

De acordo com a delegacia, as primeiras seis mulheres chegaram à sede policial, na última segunda-feira, psicologicamente abaladas e informando que Leovaldo era portador do vírus HIV, mas nunca havia informado; uma delas carregava um exame que mostrava o resultado positivo.

O delegado Leylton Barros, então, representou pela decretação da prisão preventiva, acolhida pela Justiça. A expectativa é de que em uma semana o inquérito esteja concluído e todas as possíveis vítimas tenham sido ouvidas.

“Nós fomos procurados por outras pessoas: algumas se identificaram como vítimas, outras como testemunhas. No dia da prisão, nós já tínhamos identificado 6 vítimas. Neste momento, mais duas foram ouvidas, então o número subiu para 8. Temos mais algumas que nos procuraram e que devem ser ouvidas até sexta-feira. Nós temos um prazo para encerrar as investigações, que é na quarta-feira que vem. Acreditamos que até o momento do encerramento já teremos ouvido pelo menos dez vítimas”, afirmou o delegado.

Leylton Barros também reforçou a importância de, em casos específicos como esse, divulgar-se a foto do suspeito, justamente para que pessoas que possam ter sido vítimas procurem a polícia. Ele destacou que, apesar de Pontalina ser uma pequena cidade, com apenas 20 mil habitantes, há proximidade com vários outros municípios que, comprovadamente, eram visitados por Leovaldo, que costumava frequentar festas nesses lugares.

“Existe uma lei que veda a divulgação de imagem de investigados, porém essa lei traz algumas exceções, como, por exemplo, quando a imagem ajudará na descoberta de novos crimes. Então, foi divulgada essa imagem justamente para que novas pessoas que eventualmente tenham se relacionado com esse indivíduo procurem a delegacia”, disse.

“Pontalina é um município com 20 mil habitantes, mas é cercado por outros vários municípios menores. Esse rapaz frequentava festas em outros municípios e moradores dessas outras cidades também frequentavam Pontalina. Então, há a possibilidade, sim, de pessoas de locais próximos que tenham se relacionado com ele”, finalizou.