Educação Fiscal da Sefaz visita Campo Alegre com representante da Febrafite

COMPARTILHE !!
Por: Array / Assessoria  Data: 11/10/2019 às 12:30
Imagem: Assessoria

Vinda a Alagoas teve como foco analisar e avaliar o andamento do Projeto Uma Nova Escola: Construindo Cidadania

A equipe de Educação Fiscal da Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz-AL) esteve nesta quinta-feira (10) no município de Campo Alegre participando de uma ação com a presença de representante da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite).

A vinda a Alagoas de Jesus Lins, da Febrafite, teve como foco analisar e avaliar o andamento do Projeto Uma Nova Escola: Construindo Cidadania, desenvolvido pelo órgão do Estado. No município, a Sefaz acompanhou uma ação da tenda de tributos, ocorrida na Praça Central da Cidade. Esta iniciativa visa promover ações para conscientizar os cidadãos quanto à função socioeconômica dos tributos, bem como ampliando os conhecimentos sobre administração pública, alocação e controle de gastos públicos.

Segundo o coordenador pedagógico do Programa de Educação Fiscal da Sefaz, Yuri Miranda, explicou que a análise foi considerada positiva. “Essa visita fez parte da atividade que integra o Prêmio Nacional de Educação Fiscal. O projeto foi bem elaborado e hoje vemos os avanços, como os recursos da escola são empregados, as crianças evoluindo no entendimento sobre o assunto”, disse Miranda.

O Projeto Uma Nova Escola: Construindo Cidadania surgiu da necessidade de proporcionar aos alunos noções básicas de cidadania, trabalhando com a divulgação a fim de sensibilizar o cidadão para a função socioeconômica do tributo, apresentando a própria Escola como produto da correta aplicação de recursos advindos da arrecadação tributária.

“A educação fiscal passa a ser vista como um tema transversal em nossa escola através deste projeto envolvendo alunos e professores do 6º ao 9º ano. É necessário conscientizar nossos estudantes sobre a preservação do patrimônio público na escola e na comunidade onde vivem, além disso, incentivá-los a cobrar as notas fiscais quando da aquisição dos produtos que serão comercializados na cidade, pois este é o fruto dos impostos e revertidos em beneficio para a própria comunidade, que através desses impostos terão melhor iluminação pública, segurança, transporte, pavimentação, saúde e educação”, concluiu.