‘Cheirador de carro’, funcionário da Nissan tem trabalho inusitado

COMPARTILHE
Por: Nissan/Uol  Data: 09/02/2022 às 11:13
Fonte de Imagem: Divulgação/Nissan

Uma fabricante de automóveis tem em seu quadro de funcionários engenheiros, designers e colaboradores responsáveis pela montagem efetiva dos carros. Agora, você sabia que algumas delas também têm entre os contratados pessoas responsáveis para cheirar os carros novos?

É o caso da Nissan, marca japonesa que tem em seu quadro de colaboradores a posição de Smellmaster ou, em bom português, “Mestre do Cheiro”. E a função exercida pelo “Nariz da Nissan”, nome pelo qual é conhecido internamente o profissional, é das mais importantes.

É essa pessoa a responsável por definir o padrão de odor para os carros da marca. Ou seja: é o nariz dela quem define se o que o proprietário de um carro novo vai encontrar ao abrir a porta pela primeira vez e sentir aquele cheirinho será ou não agradável.

No Japão, o responsável é Ryunosuke Ino, que trabalha no Centro de Atsugi ao lado dos engenheiros Peter Carl Eastland, do departamento de avaliação de odores, e Toni Karl, da área de materiais.

“O cheiro é um fator importante para passar o tempo confortavelmente no carro, e a Nissan é muito particular quanto a isso. Normalmente, os clientes sentem o cheiro mais próximo de onde estão sentados, então é importante verificar o odor em cada assento”, explicou em vídeo institucional divulgado pela marca.

O nariz da Nissan nas Américas

O processo todo a que Ryunosuke Ino é submetido não é exclusivo das dependências da Nissan no Japão. Nas Américas, o posto de “nariz da Nissan” é de uma mulher: Tori Keerl, engenheira de materiais do Centro Técnico da Nissan na América do Norte.

Ela explicou rapidamente como é parte do processo que define o cheiro de carro novo nos automóveis da montadora japonesa.

Segundo ela, os membros do painel analisam como as diferentes peças do veículo cheiram na cabine do veículo enquanto estacionado dentro de uma câmara ambiental que estimula diferentes condições climáticas.

Além disso, é importante que o Smellmaster também não esteja vestindo roupas com qualquer odor ou tenha comido pratos temperados, principalmente com alho, na véspera para não influenciar no olfato.

“Descrever testes de odor para pessoas de fora da indústria é divertido”, brinca Keerl. “Algumas pessoas pensam que não pode ser um trabalho real. Mas é uma parte real do meu trabalho e é necessário, então podemos fornecer um veículo de qualidade que agrada ao seu nariz”, conclui.