Bombeiros realizam parto emergencial em quartel de Alagoas

COMPARTILHE
Por: Array / CBM/AL  Data: 25/03/2019 às 10:05
Fonte de Imagem: CBM/AL

Grávida chegou na unidade às pressas em trabalho de parto

Na noite desse domingo (24), os bombeiros da Auto Bomba e Salvamento (ABS-05) foram um pouco além do lema do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, “vidas alheiras e riquezas salvar”, ao auxiliar no nascimento do pequeno Luiz Henrique. O fato inusitado aconteceu dentro da unidade, pouco tempo depois da mãe chegar ao local para pedir ajuda.

Mariana Livramento dos Santos, 18 anos, estava grávida de nove meses e ao começar a sentir as contrações solicitou transporte por aplicativo para ir em direção ao hospital acompanhada de sua mãe. No veículo, as contrações foram se intensificando, ao que o motorista indicou que ela fosse para um quartel dos bombeiros que ele sabia que havia no caminho, para que pudessem realizar o transporte de forma mais segura para ela e seu bebê.

Ao chegar no Grupamento de Incêndio (GI), localizado no bairro do Santos Dumont, um contratempo: a ambulância da unidade estava fora, em uma outra ocorrência. No local apenas as equipes de combate a incêndio e de busca e salvamento, com isso, foi solicitado o apoio do SAMU. O problema é que Luiz Henrique não queria esperar mais e as contrações foram acontecendo em intervalos cada vez menores.

Assim, enquanto era aguardada a equipe do SAMU, a guarnição do ABS-05 se prontificou e o cabo Alvorável, por ter quatro anos de experiência no serviço de ambulância e ser formado em enfermagem, tomou a frente da situação. “Eu nunca tinha participado de um parto, somente dos meus filhos e como expectador. Mas recebi orientações do que fazer nesses casos, tanto no bombeiro quanto na faculdade”, contou o militar.

Não demorou muito para que a criança estivesse envolvida na camisa vermelha do bombeiro e nos braços da mãe. O pequeno aparentava estar saudável e até aquele momento ainda não tinha nome. Foi chamado então de Luiz Henrique, em justa homenagem ao bombeiro militar que o ajudou a chegar ao mundo, o cabo Henrique Alvorável.

“Foi algo extraordinário. Fiquei muito emocionado, todo mundo aqui ficou. Foi muito diferente (das ocorrências que está acostumado a atender)”, revelou o militar.

Em seguida, Mariana e Luiz Henrique foram encaminhados ao Hospital Nossa Senhora da Guia, no bairro do Poço, por uma unidade de suporte básico (USB) do SAMU, para que pudessem passar por avaliação médica.

Também auxiliaram na ocorrência os militares: cabo Walker, cabo Acleydson e sargento Cabral.