Após quatro meses de quedas, vendas no varejo sobem 2,4% em Alagoas

COMPARTILHE
Por: Agência IBGE Notícias  Data: 09/12/2021 às 14:08
Fonte de Imagem: AlagoasWeb/Arq

As vendas do comércio varejista cresceram 2,4% em Alagoas no mês de outubro. Essa foi a primeira variação positiva após as quedas observadas em setembro (-2,9%), agosto (-1,3%), julho (-0,2%) e junho (-0,7%). As informações são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nessa quarta-feira (08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação a outubro de 2020, as vendas no varejo caíram 7,2% em Alagoas. Neste ano, o setor acumula ganho de 1,1% frente ao mesmo período do ano anterior.

No Brasil, após dois meses consecutivos de queda, as vendas do comércio varejista ficaram estáveis (-0,1%) na passagem de setembro para outubro. Com esse resultado, o varejo encontra-se 6,4% abaixo do patamar recorde, alcançado em novembro de 2020. Tanto no ano quanto em 12 meses, o setor acumula ganho de 2,6%.

O resultado de estabilidade no campo negativo foi disseminado por cinco das oito atividades investigadas pela pesquisa. Entre elas, as variações mais intensas foram registradas pelos setores de livros, jornais, revistas e papelaria (-1,1%), móveis e eletrodomésticos (-0,5%), combustíveis e lubrificantes (-0,3%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%).

“Essa variação de -0,1% se compõe de muita estabilidade, inclusive em praticamente todas as atividades. Então não há protagonismo nessa composição para nenhuma delas. Já vimos há alguns meses o setor de hiper e supermercados, que tem um peso grande, puxando o índice para cima. Mas não foi o que aconteceu em outubro, mês em que tivemos um equílibrio entre os setores”, explica o gerente da pesquisa, Cristiano Santos, ao analisar o panorama nacional.

O segmento de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,1%) também ficou estável na passagem de setembro para outubro.

Já os setores que cresceram no período foram tecidos, vestuário e calçados (0,6%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,4%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (5,6%). “A atividade de tecidos, vestuário e calçados foi uma das que mais caíram no início da pandemia porque o consumo dela é muito baseado na experienciação do produto. Houve uma queda intensa de março para abril do ano passado e o padrão de consumo não voltou depois disso”, analisa Cristiano.

“Houve também uma readequação das empresas em sua estratégia de venda, ao aderir ao e-commerce. Grandes marcas no início do segundo trimestre deste ano também anunciaram outras plataformas e isso impulsionou as vendas em um momento, mas esse movimento foi refreado pelo rendimento das famílias que não tem aumentado”, completa.

Vendas no comércio varejista ampliado crescem 4.4% em Alagoas

Em Alagoas, o volume de vendas do comércio varejista ampliado, que integra também as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, registrou crescimento de 4,4% na passagem de setembro para outubro. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o crescimento foi de 0,4%. No acumulado no ano, o comércio varejista ampliado cresceu 7,5% frente ao mesmo período do ano anterior.

Sobre a pesquisa

A Pesquisa Mensal de Comércio produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do comércio varejista no país e traz resultados mensais da variação do volume e receita nominal de vendas para o comércio varejista e comércio varejista ampliado (automóveis e materiais de construção) para o Brasil e unidades da federação. A técnica de coleta é o - Questionário eletrônico autopreenchido (CASI) e a Entrevista pessoal com questionário em papel (PAPI).