Após dois meses de queda, serviços crescem 3,1% em Alagoas no mês de julho

COMPARTILHE
Por: Ascom IBGE  Data: 13/09/2022 às 14:22
Fonte de Imagem: AlagoasWeb/Arq

Em Alagoas, o setor de serviços avançou 3,1% no mês de julho, interrompendo as quedas observadas em junho (5,7%) e maio (2,5%). Antes, abril (0,8%), março (6,2%) e fevereiro (0.4%) apresentaram variação positiva em sequência, em oposição à queda sofrida em janeiro (0,4%). Na comparação entre julho de 2022 e o mesmo mês do ano anterior, houve avanço de 7,1%. As informações são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira (13) pelo IBGE.

Nos últimos 12 meses, o volume de serviços no estado alagoano cresceu 22,4%. Já no acumulado do ano (janeiro a julho de 2022), a alta é de 20,9% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

No Brasil, serviços avançam 1,1% em julho
O setor de serviços cresceu 1,1% no Brasil na passagem de junho para julho, terceiro resultado positivo seguido, período em que acumula ganho de 2,4%. Com esse resultado, o setor se encontra 8,9% acima do patamar pré-pandemia e 1,8% abaixo do seu nível mais alto, atingido em novembro de 2014.

“Com esse crescimento de julho, o setor de serviços chega ao ponto mais alto desde novembro de 2014, ou seja, do maior patamar da série. Essa retomada de crescimento é bastante significativa e é ligada aos serviços voltados às empresas, como os de tecnologia da informação e o de transporte de cargas, que têm um crescimento expressivo e alcançam, em julho, os pontos mais altos das suas respectivas séries. Então o que traz o setor de serviços a esse patamar é o dinamismo desses dois segmentos”, destaca o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, analisando o panorama nacional.

O resultado positivo foi disseminado por três das cinco atividades investigadas pela pesquisa, com destaque para os transportes (2,3%) e informação e comunicação (1,1%), que exerceram as principais influências positivas sobre o índice em julho. O setor de transportes acumulou ganho de 3,9% nos três últimos meses e, em julho, foi influenciado principalmente pelos bons resultados de atividades como gestão de portos e terminais e concessionárias de rodovias. O transporte de cargas, que acumula alta de 19,7% desde outubro do ano passado, avançou 1,2% em julho.

Divulgada mensalmente, a PMS trabalha em todo o país com uma amostra de mais de 12 mil empresas de serviços que possuam 20 ou mais pessoas ocupadas e, além disso, a receita precisa ser proveniente principalmente da atividade de prestação de serviços. A amostra contempla empresas cuja atividade principal está compreendida nos cinco grupamentos de atividades da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE 2.0): Serviços prestados às famílias; Serviços de informação e comunicação; Serviços profissionais, administrativos e complementares; Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio; Outros serviços.