Adolescente de 17 anos estuprou e matou menina de 11, afirma delegado

COMPARTILHE
Por: Com PC/AL  Data: 13/07/2021 às 14:10
Fonte de Imagem: RS

O delegado Ronilson Medeiros, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, informou nesta terça-feira (13), que um adolescente de 17 anos foi o responsável pela morte da garota Ingrid Raíssa Gomes da Silva, de 11 anos. Ele foi apreendido.

A menina desapareceu no dia 20 de junho e teve o corpo encontrado no dia 22, na BR-104, entre os municipios de Messias e Rio Largo, em um local de difícil acesso. As investigações tiveram apoio da Gerência de Polícia da Região 1 (GPJ 1), comandada pelo delegado Valter Nascimento.

De acordo com as informações passadas pelo delegado, a polícia trabalhou com três linhas de investigação, nas quais foi possível chegar à definição da autoria do caso. Uma seria um ex-cunhado da vítima, outro seria um vizinho e o terceiro seria o atual cunhado.

A polícia ouviu ontem (12), os três suspeitos. Nas oitivas, os dois primeiros adultos informaram que no momento do crime estariam trabalhando em uma fazenda em Rio Largo, fatos confirmados pela polícia. Eles saíram de casa às 14 horas e retornaram às 17h, enquanto que a criança desapareceu às 15h. Restaria a terceira linha, do menor de 17 anos.

O adolescente é cunhando da vítima e no dia do desaparecimento tinha saído com Raissa pela manhã, e, à tarde, chegou em casa sujo de lama e com uma camisa que não era dele.

Segundo Ronilson Medeiros, em depoimento, o menor relatou que a menina o teria chamado para comprar alimento para seu pássaro, não encontrando no estabelecimento, sugeriu que fossem pegar no canavial. Nesse trajeto, ela teria proposto relação sexual com ele, o que foi recusado por ele. Com isso, ele teria ficado com medo da menina falar para as pessoas que foi vítima de violência sexual e a agrediu.

"Ele disse que numa ânsia de fúria pegou a criança pelo pescoço e a empurrou, ao cair a criança bateu a cabeça na pedra", narrou o delegado. A autoridade policial disse que a investigação prossegue e que solicitou laudo pericial para ver se há a comprovação da prática de violência sexual.

O adolescente foi encaminhado para Unidade Internação Masculina (UIM), que recebe meninos e adolescentes infratores, nessa segunda-feira (12).