22 pessoas morreram pelo Covid nas últimas 24 horas em Alagoas

COMPARTILHE
Por: Agência Alagoas  Data: 20/03/2021 às 23:25
Fonte de Imagem: DR

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), deste sábado (20/03), confirma mais 1.007 novos casos de Covid-19 em Alagoas. Dessa forma, o estado tem um total de 146.396 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 4.088 estão em isolamento domiciliar. Outros 138.193 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença. Há 15.301 casos em investigação laboratorial. Foram registradas 22 mortes em território alagoano. Com isso, Alagoas tem 3.316 óbitos por Covid-19.

Os casos confirmados de pessoas com a Covid-19 estão distribuídos nos 102 municípios alagoanos. Em relação ao quadro total de óbitos em Alagoas, estão confirmados 3.316 óbitos por Covid-19, mas, oito deles, eram de pessoas residentes em Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia, tendo como vítimas seis homens e duas mulheres. Dos 3.308 óbitos de pessoas residentes em Alagoas, 1.853 eram do sexo masculino e 1.455 do sexo feminino. Eram 1.487 pessoas que residiam em Maceió e as outras 1.821 moravam no interior do Estado, segundo o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), da Sesau.

Para ter acesso ao boletim epidemiológico, baste clicar neste link  e baixar os dados da Covid-19.  

Óbitos – No boletim deste sábado (20/03), mais 22 mortes foram confirmadas, laboratorialmente, por causa do novo coronavírus, sendo nove vítimas da capital alagoana e 13 do interior do Estado. As vítimas de Maceió eram quatro homens de 63, 70, 72 e 77 e cinco mulheres de 39, 48, 57, 72 e 74 anos.

O homem de 63 anos era hipertenso e morreu no Hospital da Unimed, em Maceió; o homem de 70 anos era obeso e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; o homem de 72 anos era hipertenso e morreu no Hospital da Unimed, em Maceió; o homem de 77 anos tinha doença de Parkinson e morreu no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; a mulher de 39 anos não tinha comorbidades e morreu também no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; a mulher de 48 anos tinha artrite reumatoide, ansiedade, insuficiência venosa periférica e morreu na Santa Casa de Maceió; a mulher de 57 anos era hipertensa e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 72 anos era diabética e também morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; e a mulher de 74 anos tinha doença cardiovascular, transtorno mental e morreu no Hospital Veredas, em Maceió.

Em relação às 13 vítimas que residiam no interior do Estado, eram seis homens de 50, 57, 68, 77, 82 e 83 anos e sete mulheres, sendo duas de 50 anos, uma de 65, uma de 71, duas de 80 e uma de 82 anos. O homem de 50 anos, morava em Arapiraca, tinha doença cardíaca crônica e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; o homem de 57 anos, residia em Rio Largo, não tinha comorbidades e morreu no Hospital da Mulher (HM), em Maceió; o homem de 68 anos, era de Limoeiro de Anadia, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; o homem de 77 anos, era de Santana do Ipanema, tinha diabetes, doença cardiovascular e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; o homem de 82 anos, residia em Olivença, não tinha comorbidades e morreu também no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; o homem de 83 anos era de Major Izidoro, tinha hipertensão, diabetes e morreu no Hospital Regional de Arapiraca; a primeira mulher de 50 anos, era de Rio Largo, tinha doença cardiovascular e morreu na Santa Casa de Maceió; a segunda mulher de 50 anos, era de Santana do Ipanema, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Regional Santa Rita, em Palmeira dos Índios; a mulher de 65 anos, era de Arapiraca, tinha hipertensão e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; a mulher de 71 anos, residia em Olivença, era imunossuprimida e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; a primeira mulher de 80 anos, residia e Major Izidoro, era diabética e morreu também no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; a segunda mulher de 80 anos, era de Arapiraca, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Regional de Arapiraca; e a mulher de 82 anos, era de Novo Lino, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Municipal de Joaquim Gomes.